quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

O'Lucky Day.


veja só como acontecem as coisas, né: anteontem quase não sai de casa porque ando duro e nem to afim de gastar. sabe que é botar o pé pra fora de casa e tu já tá enfiando a mão no bolso... é uma coisa; mas deu uma hora que me saturou. fiz tudo que tinha pra fazer em casa e pronto, deu aquela vontade de sair e dar uma volta, sacudir o pó do terno. subo a veridiana, a esquerda na maria antônia, atravessa a consolação, um pedaço escuro da caio prado. e não é que quando estava na augusta, umas dez e pouco da noite, olho de relance pro chão num trecho sem iluminação, ao lado de um monte de lixo... e tá lá: 50 reais! perdidaço, olhando pra mim, dando maior mole, só esperando o primeiro a passar. você faz idéia do que é isso?? você faz idéia de quanta gente sobe e desce a augusta, mendigos, engravatados, garotos de rua, modernos, prostitutas, e justamente EU fui achar 50 reais no chão??? sorte pacaraio viu, vou te contar! ...já encontrei moedas, notas de 2 reais, de 5, até de 10. mas né todo dia que a gente acha 50 dinheiros dando sopa assim, do nada, numa via pública que tem como caracteristica a ambição por natureza.

pois bem, levando em conta essa feliz coincidência, resolvi que era uma boa grana e deveria ser bem gasto. "veio fácil, vai fácil". mas veio feliz, então vai de um jeito feliz: gasta-lo-ei inteiramente em coisas bem aproveitáveis. agora aí é que está: o que eu julgo que seja bem aproveitado, seria da mesma forma pra você?

veja bem, vamos avaliar: não gastaria com um único item, que valesse 50 reais: soa meio ambicioso demais, e que não deu a devida importância ao valor e ao acontecimento; não gastaria com itens de utilidade doméstica: uma hora ou outra, de qualquer jeito, o que você precisa em casa, você vai ter que comprar; com comida também não: essa ostentação da gula não faz bem pra um sujeito da minha idade, sedentário pra caralha, propenso à ter o miocardio entupido ou uma barriga de "chops" saliente e incômoda; um tênis novo! ...não: eu cairia novamente no primeiro pensamento e com 50 reais só daria pra comprar um allstar chinesinho da galeria. é, melhor não; hmm, uma rodada de cerveja pros amigos?: ahh, deixa que isso eu pago quando receber do trabalho, vai gente!...

mas sim, enfim, o que sobra? eu digo o que sobra: supérfluos de lista de desejos materiais! aqueles itens que você sempre passa, olha, e diz "não, outra hora mais tranquilo eu compro", mas nunca compra porque vc nunca tá tranquilo. enfim... esses! e os meus já vêm automaticos:

1- um livro. Trópico de Cancer, do Henry Miller. já tava procurando fazia era tempo esse livro que eu confessadamente peco em ainda nunca tê-lo lido, nenhuma vezinha sequer. já encontrei o "Capricórnio" mil vezes nos sebos, mas sempre procuro o "Cancer", pra antes introduzir o que vem na sequência Capricórnio. preço: 10 dinheiros, num sebo da Liberdade.

2 - uma garrafa de rum. pode ser Montilla mesmo, o mais "viável". preferia Gordon ou Tanqueray, mas com 50 dinheiros não dá pra comprar nem meia garrafa de um desses. bom, não precisa ser um mojito de primeira também, né. preço: 16 reais, na adega dos chinas no Lgo da Concórdia.

3 - um cartão telefonico. idiota pra você? pra mim é bem útil. começo do mês, aquele esquema do malander: coloca 10 reais de crédito e usa 20 reais por dia em ligações locais e mesma operadora, e em mensagens SMS, pra mandar recadinhos pra minha gatinha distante daqui. considero bem satisfatório, cá entre nós; alegra meu dia, assim por dizer. preço: 10 dinheiros, em qualquer banca de jornal.

4 - sobram 14 reais. o que fazer com 14 reais? hmmm, que tal um pote de sorvete de 2 litros? é ostentar a gula, é sim, mas vale a pena! por mais 1 real já dava pra comprar um pote de Hagen Dazs, que é a melhor coisa do mundo depois de sexo (fazer), música (tocar) e cinema (assistir). nessa ordem. com 14 reais também poderia comprar um vinil. eu achava que dava, ao menos: saí pra dar uma olhada nos preços, e descobri um paradoxo: vinil tá muito caro, apesar de quase ninguém ter toca-discos. a baixa do CD e o novo boom da mania de LPs entre os colecionadores alavancou o preço dos vinis a ponto de eu ter encontrado um disco do Clash - que eu tenho aqui na minha coleção, alias - por absurdos joselitos 120 reais!.... um vinil nacional, nem tão raro assim, por 120 reais, só porque tá na moda comprar vinil: vá pa porra, eu digo. enfim, bora ficar no sorvete mesmo, que ganho mais.

muito bem, soma total: $10 do livro + $16 da garrafa de rum + $10 de credito de celular + $12 de um pote de sorvete = $48 reais bem gastos. e sobrou 2 dinheiros pra comprar uma lata de coca cola! missão cumprida!

é, meu povo: a gente tem que saber aproveitar momentos de sorte e as coisas boas da vida. boa sorte pra você também.

11 Cafezinhos:

Mariah disse...

não esquece de registrar a historia na contra capa do livro...quando fico sabendo de situações como essa, sempre digo...quem anda de nariz em pé, acaba morrendo pobre!

Erica Ferro disse...

Eu sou azarada. Não acho dinheiro NUNCA, mais fácil perder, hehehe.

Mas tu, hein? Estavas com sorte!
50 reais bem 'empregados', hehe.

"é, meu povo: a gente tem que saber aproveitar momentos de sorte e as coisas boas da vida. boa sorte pra você também."
Isso me tocou, ó.

Marcelo Mayer disse...

nao compraria uma garrafa de rum. uma de ypioca. claro. e oq sobre, me fazia em cigarro, fato.
e perfeita a utilizacao para o cartao telefonico. pouca gente lembra o quanto ele é importante.

Sentimental ♥ disse...

a minha lista ficaria completa e perfeita se no lugar do rum eu comprasse uma caixinha de cerveja, daí ficava sem coca cola, mas morreria feliz...

Ju... disse...

eu trocaria o rum e o cartao telefonico por cerveja e cigarro... mas o dinheiro foi bem aproveitado... hehehe

Marisete Zanon disse...

Bem administrada a grana, cara! Parabéns aeeeeee!!!
esmaques!

Ferdi disse...

Eu só substituiria o rum por um outro livro.

Jééh disse...

eu nunca acho uma quantia que vale a pena, sempre acho moedas e são aquelas dos valores mais baixo,isso mesmo, o máximo que eu acho são 10 centavos. Mas perder, aí vei eu perco dinheiro a doidado, não consigo entender isso/fato

então sim, esse com certeza foi um dia sorte, pena que foi pra mim

Leandrô/Lemão! disse...

O problema de achar dinheiro na rua, é que a gente sempre acha que é pegadinha. Vai falar que você não pensou que tinha uma linha amarrada na nota, e assim que vc abaixasse ela correria pra longe das suas mãos? É então. Pior seria se o tivesse o Sérgio Malandro por perto. Se bem que dizem que ele gosta mesmo é de ficar lá pelo jockey...

Natacia Araújo disse...

Achar grana nessa altura do campeonato não tá mole não. rs
Acho que eu beberia com o 50 paus pra comemorar a vitória. rsrs
Adorei.

Jorge Oliveira disse...

jah achei uma camisa do vasco, como sou flamenguista joguei fora jah boladão...wawa
dinheiro que é bom nem trabalhando eu toh conseguindo receber, que dirá achar na rua.
invejo tu Wash! wawawa