terça-feira, 15 de junho de 2010

Eu também sou touchscreen

Estava no shopping dia desses e me toquei na febre que virou esses Smartphones.E o pior,são as mulheres que estão viciadas neles.Sabe esses celulares que você toca na tela e eles fazem “de um tudo”?Lá ficam elas com seus dedos longos,lindos,que poderiam estar fazendo outras coisas ao invés de dar toda sua atenção aos malditos smartphones.

E estou legislando em causa própria sim.Antes o cara ia para o shopping para ver a mulherada desfilar,dar uma olhada mais de perto,conversar,beijar na boca.Agora elas ficam grudadas no celular e nem olham mais para mim.Já não olhavam antes,agora piorou.

Gostaria de falar uma coisa para vocês smartgirls.Eu também sou touchscreen,toca em mim para ver se eu também “não faço de um tudo”,toca…duvido…
____________________________________________________________________________
Trilha sonora deste post:

Edwyn Collins - A girl like you

sábado, 12 de junho de 2010

Ai amor - III




Um homem chama a sua mulher para sair. Ele diz ser um jantar romântico, e que iria ser perfeito.



― Vamos amor, já estamos atrasados!
― Espere, só preciso achar minha bolsa!
― Pra quê bolsa? Eu vou pagar.
― Está me chamando de quê?
― Te chamando...? Ah, Letícia vamos logo!
― Não, não... Entendi bem? Você disse que eu não sirvo pra nada?
― Eu não disse isso, amor. Só disse que eu vou pagar.
― Fique sabendo que eu não preciso que você pague minhas coisas, eu sei muito bem cuidar de mim mesma, e trabalho pra pagar as coisas que consumo!
― Eu sei amor, eu sei...
― Não me venha com “amor”! Você acha que eu não poderia planejar um jantar também? Acha que eu não poderia pagar?
― Amor, não tem nada a ver... Estamos perdendo tempo...
― Ah, então falar com a sua mulher agora é perca de tempo?
― Letícia quer entrar no carro?
― Tem razão, falar comigo é mesmo uma perca de tempo. Alugue uma mulher melhor, Fabiano. – Dizia Letícia, enquanto tirava um dos brincos.
― Letícia, me perdoe então, está bem? Perdoe-me por ser tão machista com você – Fabiano tentava amenizar a situação com palavras suaves, enquanto devolvia o brinco a sua mulher.
― Está bem. – Ela o acompanhava com aquela cara de fome tipicamente feminina.

Ele então sorri, entra e liga o carro. Ainda sorrindo, ele percebe que sua mulher está de braços cruzados... Meio sem entender, coloca a cabeça para fora da janela:

― Letícia?
― Não ta esquecendo alguma coisa?
― Ah, como eu poderia esquecer... – Ele corre, abre a porta de casa, e permanece lá por uns segundos. Retorna com um sorriso enorme, e um bombom.
― Aqui amor, como no dia do nosso primeiro beijo.
― 17 anos, e você não mudou nada, Fabiano?
― Letícia, entre logo ai, porque já estamos aqui há horas! – Ele entra novamente no carro. Ela nem se quer move um fio de cabelo.
― Antes os homens abriam a porta do carro para suas mulheres.
― Antes nem carro existia. Ele dava escadinha pra ela subir na carroça no máximo.
― Grosso...

Então ele abre a porta do carro pra ela. Mas por dentro do carro. Ela se recusa a entrar:

― Isso é mesmo perca de tempo, Fabiano. Vou me deitar, vai lá comer seu camarão.

Ele corre até ela, se ajoelha segura sua mão, dá vários beijos e diz:

― Vamos assistir Ghost no quarto da empregada? – Com um sorriso malicioso em sua cara de 30 anos.
― Ai, amor...


Feliz dia dos namorados à todos.
Dedicado à Bruna Gameiro, minha namorada.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Epicentro

_ Bom dia! - Susurrei para meu eu refletido no espelho.
Àquela hora da manhã ninguém além de mim seria capaz de sentir meus segredos transformados em respiração.
Recostei-me novamente sobre o travesseiro a fim de encontrar perdidos os sonhos dessa madrugada.
_ Ah, que saudades dos primeiros minutos da minha noite. - Suspirei.
Levantei-me e chequei o horário. 5:32am. Achei melhor retornar para meus devaneios, fechei os olhos e os apertei, sinceramente esperava lembrar dos diálogos metafóricos.
Passaram-se alguns minutos e senti minha pele arrepiar suavemente, estranhei e vagarosamente abri um dos meus olhos, formando uma careta decerto engraçada, não havia nem ao menos brisa entre aquelas quatro paredes.
Percebi que meu eu refletido me olhava fixamente, com uma expressão dura, fria... Me obrigava a levantar e encarar os fatos.
O sonho acabou, eu acordei, não me restam mais os diálogos moldados como eu quero.
_ Não é justo! - Relutei comigo mesma...
Virei de costas para o espelho, assim eu não haveria de incomodar a mim.
Continuei cantarolando baixinho as canções que outrora formaram uma trilha sonora... Hoje são apenas músicas da minha lista favorita.
Lembrei-me daquele trecho em especial. Aquele pequeno conjunto de palavras que por trás esconde uma vida inteirinha de afetos, inseguranças, anseios e amores.
Exatamente aí que o inevitável aconteceu, senti minhas pálpebras pesarem e, contra minha vontade, se fecharem como que eternamente.
Logo me vi no meu mundo de fantasias e doces ilusões.
Vi alguém andando em minha direção, inclinei levemente meu pescoço para o lado, acreditando ser um gesto que me faria ter melhor perspectiva de visão. Pura ilusão!
A pessoa se aproximava e eu desesperava-me. Não conseguia reconhecer!
Chegava cada vez mais perto e senti meus pés recuarem inconscientemente.
_ Olá. - Disse a pessoa sem face, numa voz suave e viciante.
_ O... lá. - Balbuciei uma resposta.
Não era possível! Eu conseguia ver a pessoa diante de mim, a menos de 2m agora, mas não conseguia enxergar-lhe a face, não conseguia distinguir a cor de seus olhos, tampouco ver seus traços.
Mas sentia seus olhos nos meus com a intensidade de todos os maremotos já relatados, inundando-me, prendendo-me a respiração, fazendo afogar-me. Foi então que eu identifiquei o motivo desse abalo sísmico.
Não poderia ser outro! Senão eu ter chorado oceanos aquela noite ao encostar no travesseiro, foi ter chorado tanto a ponto de achar que haveria de secar toda a água do mundo, a ponto de transformar meu coração no epicentro daquele maremoto.
Não entendo ainda como havia uma lágrima a rolar quando meu despertador tocou mais uma vez, lembrando-me que a hora estava a passar... Lembrando-me que mais uma vez eu ficaria sem minhas respostas, que eu deveria viver o mundo real.
Inconformada, virei-me novamente de frente para o espelho e declarei:
_ Você venceu. Estou indo encarar os fatos.
Percebi um leve sorriso a se formar no canto dos meus lábios, nos meus lábios refletidos, os que eu sinto estavam inundados...

terça-feira, 8 de junho de 2010

Anti-selos especiais

Essa é uma série que comecei em outro blog e vou continuar aqui.Porque é o seguinte,tem aqueles blogs que vivem presenteando outros blogs com selos.Você vai lá,todo pimpão visitar o blog da pessoa e a única coisa que tem é um monte de selos.Tudo bem,tem gente que gosta.Eu não gosto.
Por isso resolvi instituir uns selos mais legais,para aqueles blogs que você odeia de verdade,com todo o coração.

Para aqueles blogs tão ruins que deveriam ser considerados crimes de Guerra.:


Para os blogs que tem tantos erros de Português que fariam o Professor Pasquale arrancar os cabelos do saco:



 Para blogs que tem tantas fotos e elementos gráficos que mesmo com uma internet de 50gigas demora 1 hora para abrir:


E esse é o principal.Para aqueles blogs tão ruins,mas tão ruins que só de olhar te dá vontade de se matar com uma faca de plástico:



Mais selos aqui:
Anti-selos especiais do Chicuta

sábado, 5 de junho de 2010

Difícil colocar um titulo



Muitas coisas já me surpreenderam e devem ter surpreendido vocês também. Os comerciais da Xuxa, derramando quase um litro de Monange por banho; A quantidade de desodorante que os caras dos comerciais de Axe usam... Quem transpira pela barriga? Ta, vai que tem ? Melhor nem falar.

Mas uma coisa que realmente me impressiona muitas vezes e me garante grandes risadas, é a ação da policia. Nunca ri tanto. Não vou citar as cenas que saem no famoso “Se Liga Bocão” aqui da Bahia. Vou aos clássicos. Porque quando a policia age de maneira errada, muitas vezes, ridícula, por algum despreparo, não sei, as pessoas já vão de enxadas e tochas de fogo na mão “Só podia ser nordestino”. Beleza. Vou ao caso que mais me fez rir, claro, fora do nordeste.
Os policias apreendem um rapaz, segundo eles, traficante de drogas. O rapaz é detido e colocado dentro da viatura, sem as algemas, claro, talvez não fosse necessário. Vai fazer um cidadão passar vergonha assim? Não ? Pois é, enquanto os policiais se acomodam em seus respectivos bancos, o rapaz abre o vidro do carro, abre a porta pelo lado de fora e sai! E sai! Sai correndo! Ninguém pega! Aí você liga a TV e ainda se impressiona com “Força Tarefa”? Eu também. Como são criativos.

Tudo bem, mas seguindo esse raciocínio “Loucademia de Policia” nossos grandes defensores da lei e da harmonia em meio a sociedade nos presentearam novamente. E dessa vez, no meu nordeste, oh, meu nordeste! Sim.

Três rapazes, menores de idade, foram detidos em Belém do Pará. Sabe qual o castigo dos meninos? Aprender a tocar ‘Cavalo Manco’ na guitarra com o saudoso Chimbinha?
Não. Condenados a sentir tesão vendo a Ana Maria Braga de Madona? Não. Dançarem o ‘Rebolation’, obra do ilustríssimo Léo Santana, hit do Carnaval 2010! As cenas estão disponibilizadas na Internet, e é realmente uma vergonha para todo o nosso país! Quem ainda não viu, precisa ver. Que vergonha. Sem swing nenhum, sem molejo, sem feeling.

E olha que uma vez eu estava viajando para uma cidade vizinha, eu e o meu amigo Leonardo. No meio do caminho, policiais pararam nosso ônibus para uma revista. Como éramos novos, ingênuos, não saímos. Um policial me olhou na janela e perguntou ferozmente: “Ta esperando o convite?” Não respondi nada. Vai que era o abadá do Parangolé?

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Soneto de um dia chuvoso

Entre lençóis e seus caracóis,
Entre um beijo e um lampejo,
Sinto a beleza de cada um dos sóis
Que brilham durante mais um gotejo

Na desventura da saudade
Me perco em sons de outrora
Seus beijos e inverdades
Abraços correndo contra as horas

Mister fora os verbos cantados
Silenciosa e loucamente
Sagrou-se os versos recitados

Bailara o tango da mocidade
Cantara numa nota de descaso
Tomara os escalpos da liberdade

terça-feira, 1 de junho de 2010

Desce daí Hosana.

igreja

















Todo mundo que lê meus textos sabe que eu não sou o melhor amigo da igreja.Não sou o melhor amigo de religião nenhuma aliás.Digamos que nunca vou ser canonizado pelo Vaticano,muito menos curar alguém pela imposição das mãos.Só imponho minha mão em coisa sagrada se for no bumbum da Natalie Portman.Amém.

Mas não é porque não quero acreditar,eu quero acreditar,seria muito mais fácil.É por absoluta falta de fé mesmo.Mas esse assunto é muito espinhoso,deixemos para outro post.

É que uma pessoa aí perguntou porque eu não vou na Igreja,na católica,já que meus pais são católicos e quase todo mundo que conheço também.Bom,não vou primeiro porque é chato pra caralho ficar lá sentado escutando um cara que bebe vinho e nem oferece para os outros participantes da festa,puta egoísmo.E segundo porque tenho uma vergonha desgraçada daquelas missas coreografadas.

Cara,o Padre começa a rezar e de repente do nada para e os fiéis repetem sempre as mesmas palavras.Eu não entendo como todo mundo sabe o que tem que dizer.Sempre acho que foi combinado antes de eu chegar,tipo o Padre faz uma reunião com todos antes de eu chegar e diz:

-Ó galerê a parada é a seguinte.Quando eu falar “Glória ao Senhor” todo mundo fala “Ele esta no meio de nós”.O Chicuta não vai saber o que falar e vai ficar lá com cara de bunda,vamos rir da cara dele.
Juro que eu já vi as pessoas rindo de mim quando eu não sei o que falar nas missas,sacanagem do Padre.

E outra coisa.”Ele esta no meio de nós”?Porra cara,que bagulho mais sinistro.Tem alguém no meio de nós e nós nem conseguimos enxergá-lo.Puta que pariu,o cara tá me vendo pelado porra.Não quero ninguém no meu meio não.

Outra coisa que não entendo é a tal da Hosana nas alturas.MEUDEUSDOCÉU,a tal da Hosana tá lá em cima a séculos.E ninguém ajuda a coitadinha gente.Daqui a pouco cai das alturas e se quebra toda,tadinha da Hosana.Põe uma escada,sei lá,só ajuda a menina a descer do teto da igreja.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

O Sonho do Copo de Plástico













Ele queria apenas ser utilizado, lavado e sofrer o risco de cair no chão e ser quebrado.Ele estava cansado de ser utilizado, reutilizado, de ser reciclado tratado como um nada, deixado totalmente de lado.Ficava extremamente triste na hora que era trocado pelo copo de vidro, isso deixava-o embravecido, extremamente irritado. Até que um dia, após um dia muito intenso, ele decidiu em não ser mas um simples copo de plástico, sobre um estado de fadiga, caído sobre o chão de paralepipido, veio a subida idéia de formular um grande plano para virar um lindo copo de vidro. Mas vamos com calma,muita calma, não existe plano para se tornar de um copo plástico para um copo de vidro, o que será que tinham usado nele naquele dia para pensar nisto? Mas de alguma forma ele ganhou apoio, foi, ganhou um imenso apoio do palito de dente, que queria se eleger para presidente, prometeu para ele que iria fazer dele um copo de vidro, pois é meus caros pratos, xícaras, pires e a maquina de café, ouçam e escute em bom som, eu palito de dente futuro presidente, farei desse individuo, um ser com uma vida útil, e assim foi feita as promessas e promessas e promessas....que não passaram de míseras promessas e promessas e promessas. Mas o palito de dente tinha um bom adversário, o palito de fósforo estava por perto e também queria seus votos e pediu a todos um voto de confiança, aos copos de plásticos se uniu para derrubar o concorrente. E os copos de plásticos ouviram mais promessas e promessas e promessas... farei de vocês os objetos mais desejados e nobre desse humilde bar, irão sair desse pequeno e simples bar, para bares que comportem os seus verdadeiros valores...farei de vocês um copo de vidro, como querem! Acho que a ilusão para os copos de plásticos foram imensas, pois não se falava em outra coisa dentro daquele humilde bar, eles estavam confiantes em mudar de estado, só estavam esquecendo de alguma coisa, de que forma essas promessas seriam cumpridas? Como fazer para mudar um copo plástico para um copo de vidro? Eles não viam que estavam sendo enganados por aqueles palitos descarados que querem apenas arrancar votos para ser presidente? É copo de plástico, coitado, coitadinho do copo de plástico que sonhava em ser um copo de vidro, desse sonho acho bom você acordar, pois ele não será realizado. Mesmo assim tomou a atitude de seguir em frente com o seu gigantesco sonho, com ajuda ou não, teimoso como sempre, não se deixou ser enfraquecido pelas falsas promessas e retornou a arquitetar o plano, pois ele queria ser apalpado com gosto, ser pego com cuidado, ter um sentido para a existência alheia de que é útil, pelo visto desse sonho ele nunca irá acordar. Mas certo dia, a claridade batia de fora para dentro do bar e fez pela primeira vez, com que pudesse se ver pelo reflexo do balcão, estranhou o que via, mas logo após o susto ele riu, assustou-se, calou-se seus pensamentos por alguns e logos minutos e riu novamente, e perguntou, que, que eu sou? Uma fonte não renovável e que implica grande impacto ambiental em sua extração? Ou apenas algo consumido pelo comodismo? Perguntou novamente olhando para si, quem inventou o destino? Tenho medo do futuro, o que me espera lá na frente, se não posso ser um copo de vidro, terei que ser um copo de plástico para sempre? Tudo o que mais queria agora era ter um punhal para poder pregar, cravar aqui no meu peito esquerdo, para que morra mais um dia tedioso e sem graça. Acho que o copo agora desta vez foi além, dessa vez ele imaginou ter peito e ter coração, será que ele agora quer ser gente? Enfim. Estava extremamente determinado a não passar mais um dia como um copo de plástico, e amargou o teu desejo com um plano diabólico, se revoltou e resolveu montar uma equipe para destruir os copos de vidros, então criou uma estratégia terrorista aos copos de vidros, de uma forma bem rancorosa, pensou que se não posso ser eles, eles não irão tomar o meu lugar, pois então uniu forças com toda nação de coposplaticanos e deu inicio ao extermínio aos copos de vidros, mas uma duvida de ultima hora surgiu, como eles iriam fazer isto? Copos plásticos são frágeis, qualquer vento derruba , os levam para longe, és um objeto não sustentável e economicamente caro para fins ambientais, caso seu destino seja descartá-lo de maneira incorreta, o que na maioria das vezes é, desista copos de plásticos, vocês nunca e jamais passarão de ser copos de plásticos. Coitado coitadinho do copo de plástico que sonhava em ser um copo de vidro, percebeu que nasceu realmente para ser um copo de plástico e que o fim dele seria como um copo de plástico, amassado, descartado, após o uso. Pois é copo, você é apenas mais um coitado, mais um coitadinho de um copo de plástico que sonhava em ser um copo de vidro.




*Sobre Paulo Dias:

"Não fui parido, fui cuspido ao som do batuque no pé da ladeira e sobre a sombra de um candeeiro fui crescendo sem beira e nem beira, apenas condicionado a carregar retalhos e fotos para o fogo na lareira. Assim eu fui sendo hoje o que sou, e assim eu continuo sendo sem saber o que realmente sou, uma bosta? Ou uma meleca? nem muito alegre, nem muito triste, apenas poeta. Vivo como uma mosca, meu futuro é daqui a três segundos, são três pontinhos e pra mim não importa que amanhã seja um outro novo dia, reaprendo a ler, a falar e a escrever todos os dias, com a minha vovó, com a minha titia ...aprendo que sou um mero aprendiz nessa imensa e finita arte que todos chamam de viver, dei-me um espaço pra crescer e vencer. Sou cadastrado na bolsa família e adestrado pelos horários políticos, nas horas vagas sou um bêbado vagabundo, sujeito indigesto pela sociedade, só porque veste a roupa pelo avesso e faz tudo ao contrario, tudo pelo inverso, e que voa com as drogas ilegais e conhece todo o universo, sonha bem alto, sem imaginar a altura do tombo e que pensa que sabe fazer verso."

domingo, 30 de maio de 2010

Inutilidade Poética

















Nossos versos eram os únicos vestígios

que deixávamos aqui,

só eles nos compreendiam

e nos libertavam de nós.


Inventávamos muito para conhecer

aquelas partes intocáveis e escondidas por dentro

que só as palavras alcançavam

através de poesias inúteis.


Olhares cruzados atingiam

desenhos verbais por entre rimas

enquanto nos transfigurávamos

em nossos embaraços verbocorpóreos.


A cada travessura métrica

sonhávamos a inocência

das coisas que não acontecem

como quem pula obstáculos.


E por amor

unimos nossas palavras até ouvir o silêncio delas

ao desver o mundo nos abandonos

e guardar os desconcertos dos nossos absurdos secretos.


Assim abrigamo-nos nas palavras

antes mesmo que em nossos corpos

e sustentamo-nos em poesias

antes mesmo que em nós.




*Fernanda Tavares 20 anos. Estudante de Psicologia, apaixonada por expulsar de si palavras vagas que se emparelham até formar coisas inúteis que muito significam e nada valem, pelo simples amor e prazer de brincar com a poesia como quem brinca consigo mesma.


http://meninadosolhos00.blogspot.com/



sábado, 29 de maio de 2010

Aquela conversa


Pai e filho vão para sala. O filho parece sério. O pai parece preocupado.

― Pai, precisamos ter aquela conversa.
― Aquela conversa?
― É, sabe... De pai pra filho.
― Meu Deus... Mas filho, você deveria...
― Eu sei pai, eu sei. Mas não deu pra contar antes.
― Meu filho... Sua mãe já sabe?
― Não pai, ainda não...
― E como pretende dizer a ela que você está envolvido com drogas?
― Drogas?!
― É meu filho. Baseado, cigarrinho...
― Nunca usei drogas, pai!
― Não? Então porque fez esse mistério todo?
― Pensei que já sabia o que era...
― Não... Eu não acredito que você tem...
― Eu ia te contar pai! Eu ia!
― Mas meu filho, isso é muito sério!
― Ah, pai... Também não exagera. É só um...
― Um filho!
― Um filho? Do que você tá falando agora, pai?
― Meu Deus, como eu nunca percebi! De baixo do meu nariz!
― Não é isso pai...
― Ah, não? Isso explica você ir todos os dias na casa daquela Gisele.
― Gisele? A Gisele não tem nada a ver com isso.
― Então quem é a mãe desta criança?
― Que criança pai? Não sei de criança nenhuma!
― Pronto... Temos mais uma mãe solteira.
― Pai, eu nunca usei drogas, nem fiz um filho.
― Ah, Pedro. Você me chama para termos “aquela conversa”... Ou é envolvimento com drogas ou uma gravidez inesperada.
― Há, então eu ter pegado seu carro de madrugada e ido para uma festa GLS não faz parte “daquela conversa”?
― Seu marginal! É por isso que ele veio todo pichado com desenhos obscenos, não é?
― Não aquilo foi na rave, semana passada.
― Eu vou te matar, Pedro Henrique!

O menino corre em direção ao banheiro, e se tranca. O pai fica na porta, a espera do filho, que agora, está muito encrencado. A mãe de Pedro Henrique, Dona Amália, com uma cara séria.

― Francisco, precisamos ter aquela conversa.
― Espero que você não seja lésbica...

(Crônicas do tempo que a Hebe era gostosa)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Loucura, loucura, loucura!

















Me sinto constrangido o suficiente quando me chamam de louco. Não pelas doses de lítio que preciso tomar, muito menos pelas horas infinitas de terapia, mas porque meus dias de loucura foram os mais incríveis de minha vida. Se engane quem pensa que não passa de uma experiência lisérgica ou alcoólica. Não, foi um encontro sem hora marcada com a verdade: sentei, acendi o cigarro e não esperei a conta chegar.
Loucura teria sido se algum enfermeiro me visse rezando. Ou era internação por esquizofrenia ou eu seria matéria em alguma residência na ala de psiquiatria. Claro, não ouvi Deus e não tenho como ouvi-lo, mas posso senti-lo, assim como posso sentir o vento sem que eu precise enxergar. Louco, sim, é aquele que se diz ouvir Deus. Louco é aquele se embeleza de egoísmo. Louco é aquele que vende amor.
Por uma imbecilidade conservadora dos padrões de vida de uma sociedade que acredita mais em novela do que na vida real, é natural que qualquer gritaria seja vista como loucura. Bom, se perder na frente da TV ou argumentar que Glauber Rocha é mais importante do que seu próprio Cinema Novo, é tão loucura do que sair gritando pela rua sem motivo algum. A sociedade que julga a loucura como frescura, não foi capaz de me dar um abraço tão sincero como recebi em meus dias lunáticos. Porém, se eu fosse tema de novela, não sairia de programas vespertinos em companhia de pagodeiros donos da opinião pública. Depois o louco sou eu. Loucos são os que aplaudem de pé a loucura de Arnaldo Baptista e se esquecem de sentar, calar a boca e escutar. Porque pra mim, loucura é deixar de prestar a atenção em sua música.
Por que fui chamado de louco? Por que não tive dó do vira-lata que estava mais preocupado com sua comida no lixo do que minha presença? Por que não chamei de trombadinha e vagabunda aquela criança no semáforo? Louco por que não aceitei ser pintado de corpo inteiro em um trote de faculdade? Louco por não xingar a Geyse Arruda de puta e não me esfregar no banheiro enquanto penso nas garotas do Big Brother? John Lennon e Yoko Ono em uma cama foi um ato nobre e eu querer ficar na cama por que não quero trabalhar em algum call center é vadiagem? Nietsche começa a fazer sentido. Alguém pode me passar uma gripe?
É, Loucura se mede conforme os costumes de uma sociedade. Pronto! Era o que me faltava. A cada canto que me aventuro a minha loucura se transforma ou precisa se esconder. E se esconder é o nosso papel mais magistral.


Marcelo Mayer já se aventou por aqui, porém Fluoxetina não foi suficiente para ele e hoje busca doses cavalares de outras drogas em busca da patologia perfeita. Em breve terá seu nome nas mais empoeiradas gavetas e na pior das hipóteses, prateleiras. Seu livro, Arma Quente, está no forno. Conheça mais de seu trabalho em http://cransauce.blogspot.com

segunda-feira, 24 de maio de 2010

De boas intenções o inferno anda Lotado!




Buscamos lá em nossos patrícios navegadores e descobridores de novos mundos nossas ações humanitárias. Percebemos que já naquela época sentimos a necessidade quase que vital de fazer o "Bem!"

O ser humano é repleto de boas intenções em relação ao outro. Por exemplo: Ao encontrar um novo continente com um povo diferente... Povo? Bom Um aglomerado de seres desprovidos de tudo, sem cultura, sem decência, animais bestiais, sem civilização.

O "ser humano Civilizado" e bem intencionado, encontra-se obrigado a intervir e transformar aquele mundo selvagem à sua frente em uma sociedade vista através de nossos bons olhos. Nobre demais!

Como imaginar que um povo sobreviveria alimentando-se de sua própria terra, retirando apenas o que realmente precisaria para sobreviver, Selvagem demais! A boa ação civilizadora resolveria todas estas questões e a partir do contato com o homem civilizado, esses novos povos aprenderiam o verdadeiro modo de agir, passando a ter um caráter humano (em seu real sentido) deixando assim de serem selvagens. Aprenderiam então que tudo que esta a sua volta é propriedade do homem, aprenderiam a explorar a natureza e extrair suas riquezas mesmo que para isso seja necessário acabar com seu solo, matas, águas...

Seus amigos civilizadores exterminaram, com sua cultura, sua identidade levando sua nobre barganha salvadora, “A civilização”.
Bom hoje tudo mudou, vivemos na era da tecnologia, globalização, o ser humano esta no seu ápice, somos mais humanos ,mais tolerantes, somos bem melhores.

Afinal de contas hoje não invadimos mais nenhum País levando bandeiras humanitárias e não nos enfiamos mais nos assuntos do território alheio para dizer como cada povo deve viver,não levamos bandeiras de instituições salvadoras.O etnocentrismo é finalmente coisa do passado , nós somos os civilizados de agora e mudamos muito,não é mesmo? Bom apenas uma coisa continua igual.... Nossas boas intenções em relação ao outro , apenas isso... Nossas boas intenções...

sábado, 22 de maio de 2010

Ai, amor - II

Como é da natureza daqueles seres que possuem um par de pernas descomunal e de olhar voluptuosamente hipnótico... Elas não param de perguntar. Conseguem tudo que querem fazendo arapucas diárias, mas, haha... Amigo, ela nunca está satisfeita. Se você consegue isso, comece a ganhar dinheiro ajudando o resto da população masculina. Falo das mulheres.

― Ah, como eu to cansado, uhmm... – Dizia Almi enquanto tirava os sapatos sociais que há horas estavam dando um mata-leão em seus pés. Olha para sua esposa, Leonice, que acabara de tomar sua dose de Anador, como de costume. Ele nota então que ela está de braços cruzados, boca enrugada e olhar de “quero te matar”... Preocupado, pergunta:

― O que houve?
― Não sei, pergunte a Liliu. – Liliu é um conhecido dono de boteco, da pequena cidade de Teixeira de Freitas. Almi costumava aparecer ali no tal estabelecimento para, como diz Dona Leu: “tomar umas”.
― Ah, lá vem você com isso... Nem bebi.
― E este cheiro de cachaça deve estar vindo de Júnior, é ele quem bebe aqui. – Júnior era apenas o filho destes dois, que agora, só observava calado.
― Cachaça? Foram algumas cervejas...
― Do mesmo jeito bebeu.
― Ah, eu estava cansado, uma cervejinha gelada não tem nada de mais também. – Almi sem saber, já caía em sua armadilha.
― Da sua cervejinha gelada você gosta né? Bebe e esquece do pão. Quero ver amanhã, Júnior vai pra escola com fome. Muito bem, Canabrava.
― Mãe... Ele trouxe o pão... – Júnior disse sussurrando pra sua mãe, enquanto fingia rir de uma piada feita por Pedro Bial.
― Ele trouxe? – E olhava para Júnior e para os lados, meio perdida, sem ao menos mover as nádegas da cama.
― Ta vendo? Você e essa mania de falar demais, achar que já sabe de tudo, ah...

E Almi resmungava enquanto tirava o cinto. Por um momento parecia cena de novela das oito. Sabe a típica surra que o marido dá na mulher, o filho tenta apartar e sempre cai perto das roupas jogadas no chão, a mulher grita e ele manda ela se calar? Mas claro isso não aconteceu.

– Eu não quero pão. Queria uma coisa diferente, mas não tem! É todo dia pão, pão, pão... Não só de pão viverá sua família, Almi...

(Baseado numa discussão entre meus pais)


Crônicas que minha professora não leu.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Que grande perda de tempo.

Lá vou eu ser execrado novamente pela opinião pública mundial.(pfff).


Quando estava estudando sempre fui o melhor,ou um dos melhores alunos do colégio,sempre.Passei por alguns colégios e a coisa nunca mudou,sempre foi natural para mim tirar boas notas,prestar muita atenção na aula e estudar bastante em casa,que também não sou nenhum gênio.

Eu tinha pena das pessoas que não sabiam responder as questões,não entendia como alguém poderia tirar zero em uma prova de história por exemplo,que é tão fácil.Hoje eu sei que as pessoas são muito diferentes uma das outras,tem outros interesses e vai ver que elas não tinham um interesse tão grande assim nas aulas como eu tinha.

Nunca fui nerd.minha mãe já teve que ir ao colégio algumas vezes para me salvar de enrascadas mas acabava me safando porque minhas notas eram muito boas e expulsar um aluno que nunca tirou uma nota abaixo de 8 não deveria ser interessante.

Mas agora eu me pergunto:Para que?Para que perdi tanto tempo estudando aquelas questões enfadonhas de matemática?Nunca usarei aquilo.Desde pequeno eu já sabia que nunca ia querer ser um Engenheiro ou qualquer outra profissão que necessite tanto assim de matemática.Gosto muito de matemática,mas aquelas equações são de fuder a cabeça do cidadão.E duvido que os engenheiros saibam fazer aquelas merdas.

Meus amigos se divertiram muito mais que eu,aprontaram muito mais que eu e aposto que tiveram uma infância muito melhor que a minha.Eles lá com os seus zeros e uns e eu com as minhas notas dez.

Hoje meu filho esta passando o mesmo que eu,mas ele esta no outro lado da corda.As notas dele não são grande coisa e o cabeção não e muito chegado em estudar,mas aposto que as lembranças que ele terá da infância serão melhores que as minhas.Fico feliz.

A vida ensina muito mais que a escola,pena que eu só fui aprender isso quando era tarde demais.
_____________________________________________________________________________
Trilha sonora deste post:

Legiao Urbana - Quimica

sábado, 15 de maio de 2010

Eu penso assim, talvez você não

Não estou generalizando, nem nada. Só quero falar sobre algo que me deixa realmente chateado e por muitas vezes puto. Falo da nossa sociedade preconceituosa a cerca do assunto “Eleição”.

Eu, Almi Costa dos Santos Júnior, solteiro, Baiano da cidade de Teixeira de Freitas, do signo de libra, EU, não entendo porque todo esse alvoroço em relação à Dilma ter uma chance de ser a primeira mulher a governar o país. É a minha opinião, claro. Ainda existem mulheres que consideram isso uma conquista, mesmo estando há anos em um país livre e livre de preconceitos tolos como esse.

A mesma coisa aconteceu quando Obama foi presidente dos Estados Unidos da América. “Agora sim! Um presidente negro! Finalmente!” Ah, então quer dizer que os projetos apresentados pelo mesmo não tiveram nenhum valor? Nenhuma de suas atitudes teve reconhecimento da população? Enquanto ele falava o povo só olhava pra sua pele escura? Meu Deus, o que é isso? Parece até que quando Obama foi eleito o cara da CNN disse:

— E o novo presidente dos Estados Unidos da América é Barack Alien Obama! Este homen que nunca teve nada, veio de Júpiter porque os país abandonaram ele... Um Alien! Um alien na presidência dos Estados Unidos!
Dilma não é de outro mundo, não é especial, não tem cota de mulheres na presidência. Ela é uma brasileira, como qualquer outra. Ela é um ser humano, como todos os outros. Se ela ganhar, vai ser pelo o que ela apresentou a população, seus projetos, enfim. Mas o fato de ela ser mulher não significa que isso é uma vitória para as mulheres do Brasil inteiro.

É por isso que somos tão preconceituosos. É por isso que somos tão limitados, e ao invés de ver o que as pessoas tem a nos mostrar, nós só vemos se elas são negra, se é mulher, se é homem, se é Adão ou se é Eva.
Esses papos me estressam. Mas olha, eu não gosto de falar de Política não, nem religião... Vamos comentar do episódio de Sinhá Moça. Mas você viu, cegaram o Justino! Minha nossa...

terça-feira, 11 de maio de 2010

Trilhas sonoras fodásticas

As vezes me pego assistindo a um filme e sei,lá no meu íntimo,no meu eu interior,dentro de mim (que gayyyyy) que aquele filme,digamos,assim,em uma linguagem chula,é uma bosta.O filme não presta,é ruim.Ou então nem é tão ruim,é mediano,quase bom.Mas se tenho certeza que o filme é ruim porque não paro de vê-lo?Simples,pela trilha sonora.Muitas vezes o que segura um filme ruim é uma trilha sonora matadora.Daquelas de te deixar com lágrimas nos olhos em uma cena do mais banal sentimentalismo barato,ou com raiva em outra cena daquelas cheias de explosões e fogo e perseguições de carro.

Vou listar alguns que lembro de cabeça.Mas vale lembrar que essa lista é apenas e tão somente o meu gosto pessoal.Não sou o bam-bam-bam da música.(Mentira sou sim).

Filme - O CORVO:

Aquele mesmo em que o Brandon Lee morreu durante as filmagens.Típico filme de ação pop-corn sem maiores intenções oscaristicas.Muito sangue e uma trilha sonora ducaralho,só porrada do,então,udigrudi Norte-Americano.

O Corvo Chicuta

01 - The Cure - Burn
02 - Machines Of Loving Grace - Golgotha Tenement Blues
03 - Stone Temple Pilots - Big Empty
04 - Nine Inch Nails - Dead Souls
05 - Rage Against The Machine - Darkness
06 - Violent Femmes - Color Me Once
07 - Rollins Band - Ghostrider
08 - Helmet - Milktoast
09 - Pantera - The Badge
10 - For Love Not Lisa - Slip Slide Melting
11 - Mu Life With The Thrill Kill Cult - After The Flesh
12 - The Jesus And Mary Chain - Snakedriver
13 - Medicine - Time Baby III
14 - It Can't Rain All The Time - Jane Siberry

Filme – Romeu & Julieta:

Mais uma re-filmagem de tantas outras.Mas essa com o diretor Baz Luhrmann e com os atores Leonardo DiCaprio e Claire Danes não ficou ruim.Mas não é uma obra prima.Já a trilha sonora,para quem gosta de rock como eu,esta ótima.Doçura e porrada na dose certa.

Romeo Juliet_CD_cover

1 – Crush-Garbage
2 - Local God -Everclear.
3 – Angel-Gavin Friday.
4 - Pretty Piece of Flesh- One Inch Punch.
5 - I'm Kissing You- Des'ree.

6 - Whatever (I Had a Dream) - Butthole Surfers.

7 – Lovefool -The Cardigans.

8 - Young Hearts Run Free- Kym Mazelle.

9 - Everybody's Free (To Feel Good)- Quindon Tarver.

10 - To You I Bestow- Mundy.

11 - Talk Show Host-Thom Yorke, Jonny Greenwood, Ed O'Brien

12 - Little Star- Stina Nordenstam.

13 - You and Me Song- Wannadies.

14 - When Doves Cry- Quindon Tarver.

15 - Slow Movement-Craig Armstrong.

16 - KTTV News Theme- Gary S. Scott.

17 - Symphony No. 25- Capella Istropolitana.

18 – Liebestod -Richard Wagner.

19 - Exit Music (For A Film)


Filme – O SANTO

Outro filmeco de ação,desta vez com o charlatão mor Val Kilmer no papel principal.Um ladrão que usa nomes falsos,ligados a santos para não ser pego e se apaixona pela bela cientista (Elizabeth Shue),blábláblá.Mas a trilha é uma obra prima da música eletrônica.

Movie-Poster-The-Saint


1. Saint Theme - Orbital
2. 6 Underground [Nellee Hooper Edit] - Sneaker Pimps
3. Oil 1 - Moby
4. Atom Bomb - Fluke
5. Roses Fade [Mojo Mix] - Luscious Jackson
6. Setting Sun [Instrumental] - The Chemical Brothers
7. Pearl's Girl - Underworld
8. Out of My Mind - Duran Duran
9. Funk - Daft Punk
10. Dead Man Walking - David Bowie
11. Polaroid Millenium - Superior
12. Dream Within a Dream - Dreadzone
13. In the Absence of Sun - Duncan Sheik
14. Before Today - Everything But the Girl

sábado, 8 de maio de 2010

"Cristo ou Barrabás?"

Dia desses o Tribunal decidiu julgar dois casos inquietantes para a sociedade. De um lado, uma mulher havia destruído sete carros enquanto dirigia bêbada e com os faróis apagados. Causou um enorme prejuízo, cerca de 45 mil libras. Do outro lado, um homem que roubou um cachorro quente e foi preso em flagrante, publicamente. Coisa de outro mundo. Coisa de “Mad Max Além da Cúpula do Trovão”.

— Então quer dizer que a senhora destruiu sete carros, contando com o seu, enquanto dirigia bêbada e com os faróis apagados?
— Isso mesmo meritíssimo.
— Como espera ser absolvida de um crime tão cretino, como esse, senhora?
— Eu não espero que me absolva senhor Juiz...
— Como é?
— Eu realmente fui muito má nesses últimos dias de minha vida medíocre.

De repente todos os olhos do tribunal se voltam para a mulher. Alguns se perguntando se ela havia perdido os filhos, o marido, ou quem sabe ela fosse a mulher Ricky Martin.

— Por favor, um lenço para a mulher.
— Obrigado. Eu... Realmente não deveria ter colocado raiva, bebida e volante juntos. Eu sabia que era errado mais é como se eu quisesse morrer. — Ficava mais difícil saber agora se ela falava de família ou se ela ficou assim depois que descobriu que Justin Bieber é virgem. — Eu mereço ser presa.
— Acalme-se senhora, ainda estamos te ouvindo.
— Eu estou passando por uma fácil difícil. Dividas, família, filhos... eu não sei mais o que fazer, estou arruinada! — A mulher põe o rosto sobre o ombro de seu advogado e começa a chorar, enquanto o outro homem, que será julgado, fica sem entender.
— Eu absolvo esta mulher, pois os crimes que ela cometeu foram resultados de uma má educação psicológica dada desde de sempre por seus pais e/ou familiares.

Todos no tribunal aplaudem a mulher que dá um sorriso meio fraco em meio a tantas lagrimas. Ela se retira enquanto o outro réu se coloca no lugar.

— Ah, sim, é você.
— Sim, sou eu meritíssimo.
— Então o senhor é culpado de ter roubado um cachorro-quente em via publica, e foi pego em flagrante tirando-o de alguém que no momento estava com fome e precisava do alimento para que seu dia de trabalho árduo não se tornasse frustrantemente difícil, visto que além de ter que trabalhar para comprar, tem que trabalhar para sustentar um ser vil como você, que não tem coragem de trabalhar para se auto-sustentar, como um homem de verdade?
— É, eu tava com fome, foi um momento difícil também!
— Difícil, difícil o que. Levem ele. Condenado a 7 meses de prisão, sem cachorro-quente pra ele no sábado.
— Mas foi mais difícil que o dela!
— Ah, ta bom.

terça-feira, 4 de maio de 2010

A rádio do Capeta

credo
Certa vez a época era de cachorros magros e eu tive que fazer uma coisa vergonhosa para quem mora na região da Próspera,uma coisa de baixo nível,que me envergonhou muito: Fui procurar emprego!!!!

Desgraçadamente consegui uma vaga em uma rádio aqui de Criciúma (que eu não vou falar o nome para não ser processado).Mas a bosta da rádio só tocava música sertaneja, o dia todo.Logo eu criado ouvindo Raul e Iron Maiden tinha que colocar aqueles discos do Chitãozinho & Xororó,Milionário e José Rico,Tonico e Tinoco,não agüentava mais ouvir o baile na roça (Baile na roça meu bem se dança assim,pego na cintura dela e ela sei lá o que...).E nos domingos não tinha locutor,de manhã ficávamos eu um pastor evangélico e umas crentes gostosas no estúdio.O pastor desgraçado ficava duas horas pedindo dinheiro e vendendo bíblia e dez minutos falando de Deus.E era um negócio da China,o filho da puta chegava com um carro diferente todo domingo,arda no fogo do inferno maldito...

Quando o pastor ia embora eu ficava sozinho a tarde inteira,e de-lhe Baile na Roça,Fio de cabelo,Chico Mineiro...Certo dia aquilo me encheu o saco e eu meti uma música do Sepultura,logo depois do Baile na roça.O telefone começou a tocar loucamente e lá fui eu atender:


-Rádio Prálálá boa tarde.
 
-Meu filho,o que foi isso meu filho?Que música endemoniada é essa meu filho?Eu sou evangélica meu filho,não posso ouvir essas músicas. 

-A Senhora tem razão.Foi uma falha do nosso operador de som (eu).Não vai acontecer novamente,mil desculpas. 

Eu já sabia que a minha permanência na rádio depois de colocar o Sepultura era mais improvável do que o Rubinho ganhar o campeonato e o Falabella comer a Madonna então avacalhei de vez,coloquei a música do Diabo do Raul (O diabo,o Diabo usa capote,é rock...) e fiquei esperando a Tia ligar de volta,não deu outra:

-Meu filho,essa rádio é do Capeta,só toca música do Diabo,não escuto mais essa rádio não. 

-Pois é Senhora, o Demônio tomou conta do corpo do operador de som,não tem mais jeito... 

Passei a tarde toda tocando hard rock e Chico science, naquele domingo os ouvintes tiveram o privilégio de ouvir música de verdade.Obviamente na segunda-feira eu fui demitido,mas me diverti pra caramba.
Ah e claro,o programa era patrocinado por um açougue,então sempre rolavam uns sorteios de carne de boi,devo ter ganhado uns dois bois inteiros porque os sorteios sempre eram fraudados...

__________________________________________________________________________________
Trilha Sonora deste post:

Raul Seixas - Rock Do Diabo

sábado, 1 de maio de 2010

Confissão inesperada



Mônica, no auge de seus 17 anos, chama os pais na sala para uma conversa. Todos na festa estão rindo, bebendo, se divertindo. Mônica, chora desde o inicio.

- Minha filha, o que está acontecendo?
- O que está acontecendo não, mas eu estou assim pelo o que aconteceu.
- Está nos preocupando, querida, aconteceu algo tão grave assim?
- Se é grave, não sei. Ainda não sei como vou dizer...

O momento é de tensão. É como se de uma hora para outra, você estivesse no inferninho e alguém sofresse uma parada cardiaca com o êxtase e o Datena já aparecesse dando pressão.

- Eu cometi um erro, pai.
- Nossa minha filha, está me deixando mais nervoso. Conta logo!
- O senhor sempre me disse e mesmo assim, eu persisti em errar.
- Mas minha querida...
- Eu... eu sempre te contei tudo, né pai?
- Tudo.
- Então vou contar, porque... porque eu prometi nunca esconder nada do senhor.
- Fica calma minha filha, se não quiser contar, tudo bem.
- Não pai... eu vou contar sim. Foi na quarta... quarta-feira. - Dizia Mônica entre soluços e catarros escorridos.
- Não...
- Eu sei pai, você sempre me avisou e eu nunca ouvi! Agora estou aqui, sem poder festejar.
- Não acredito que é por isso que você não está na festa... Não!
- É pai, eu estou... grávida.
- Ahhhh, graças a Deus! - Diz Jorge num pulo de felicidade, enquanto a filha, nem consegue se mover entre os braços do pai.
- Mas pai, como assim, "graças a Deus"? O pai dessa criança está indo pra Italia amanhã!
- Pensei que você ia dizer que sempre foi corinthiana! Mas hein, se for menino vai se chamar Adriano! Hehe

Abraços aos meus amigos Jônata Píres, Alexssandro Pasetto e João Lucas. E ao Todo Poderoso Timão.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Não quero ser melhor que ninguém

Negócio é o seguinte.Porque decidir ser uma pessoa melhor que as outras?Porque decidir que você vai competir com outras pessoas para ter mais?Mais grana,mais amor,mais objetos pessoais?Estava lendo um post maravilhoso no Heresia Loira sobre amizade e conquistas pessoais e lembrei dessa cultura do vencedor que a TV e a sociedade em geral nos impõe.Vou falar a real aqui,para você,para o Mingau,para a Deise Duarte,a Sílvia e a torcida do Flamengo Próspera.Já estou de saco cheio de ter que ganhar sempre.

Quero poder desfrutar da minha mediocridade sem ninguém me olhar torto e me achar esquisito.Quero ter um carro meia boca,morar na periferia,não ter casa na praia,não ser a pessoa mais amada do mundo,não ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar,não ter milhões de roupas no guarda-roupa que nunca vou usar.Quero poder ser a pessoa mediana que sou sem ninguém me achar um perdedor.

Se outras pessoas conseguem feitos memoráveis eu quero poder ficar feliz por elas,sem ter inveja.Eu tenho 33 anos de idade e a essa altura da vida já sei que não vou formular uma segunda Teoria da Relatividade que refute a de Einstein.Eu quero formular a tal Teoria,mas não vou.Porque não sou brilhante,sou apenas uma pessoa comum e estou confortável com isso.

Então combinemos uma coisa.Eu fico aqui no meu cantinho sem incomodar ninguém,sem cobrar realizações fantásticas de ninguém e vocês façam a mesma coisa comigo.

___________________________________________________________________________
Trilha Sonora deste post:

O Vencedor - Los Hermanos

sábado, 24 de abril de 2010

Lá e cá

Manhã de segunda-feira sinta o ar impuro. São Paulo.

O celular toca.

— Alô? Olha pra frente, vovô!
— Hein?
— Não é contigo, é com.. Ah, deixa. Tô no transito, fala!
— Nossa e precisa ser assim?
— Filha da puta!
— O que é?!
— Ah, cacete. Minha lanterna...
— Bateram no seu carro?
— Não, só estão conspirando contra mim. Diz.
— Sabe, os amigos do Emanuel vem hoje então...
— Então você não vai pagar o que fez?
— Ah, amor, posso pagar. Mas não posso fazer tudo sozinha, não é?
— Tá me chamando de quê?
— Não é isso, amor. Olha, vamos fazer assim: Eu contrato o palhaço e você toma conta dos quitutes.
— Alguém vai ter que pagar isso, e não sou eu.
— Mas amor, você tinha concordado ontem à noite!
— Não tem acordo, cale a boca. Vou ligar pro meu advogado.
— Advogado, mas não é necessário amor!
— Chame o seu, e eu chamo o meu. Fim de papo.
— Não amor, podemos cancelar a festa. Vamos levar os meninos pro shopping, eles comem uma pizza e pronto!
— Então veremos babaca.
— Babaca?
— Isso mesmo, por que?
— Agora você precisa mesmo de um advogado. Não, melhor, de um médico.
— Isto é uma ameaça?
— Não sei. Mas cabeças vão rolar.
— É melhor fechar a boca, se ainda quer dar um beijo de despedida nos teus filhos.
— Canalha! Bem que mamãe falou!
— Isso, chama sua mamãe!
— Deixa ela escutar isso.
— Você ainda precisa crescer, moleque!
— Moleque?

Um silencio breve, seguido de um baque. Parecia a porta do carro batendo.

— Oi amor, do que falávamos?

Crônicas que minha professora não leu.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Mulheres que me fazem lamber a tela do computador.

Estou corneando a minha TV com a internet.A pobrezinha esta lá,no canto dela,desligada e jururu.Fazer o que,larguei um vicio e assumi outro.Mas isso me traz a um outro assunto:”Quem aqui amigo nunca teve vontade de lamber a tela da TV quando viu aquela gostosa rebolando"?”

Não tem jeito,desde que o mundo é mundo que os homens se amarram em ver mulher pelada,seja ao vivo,na TV,ou em fotos,e até desenhada na parede de cavernas por algum homem de Lascaux taradão.É da nossa má índole babar todas as vezes que vemos o desfile de lingerie na Luciana Gimenes,logo no intervalo do futebol,quando você mulher se descuida e vai ao banheiro.Porque você acha que mudamos de canal rapidinho?

Como não vejo mais TV tenho que usar a internet para saciar meus vícios olhísticos sexuais taradões.Abaixo uma pequena lista de mulheres que já me fizeram lamber a tela do micro:

Mirella Santos – A mulher deve passar mais tempo na academia do que respirando para ter um corpo desses.Mas o mais interessante dela é que tem um péssimo gosto para homens,vide ser casada com o Latino,ou seja tenho chance.


Fernanda Souza – Dá para acreditar que aquela piveta das Chiquititas ia se transformar nesse mulherão?Não dá né?Pois é,eu deveria ter fundado um fã-clube para ela naquela época,quem sabe agora eu teria alguma chance de,sei lá…Limpar com a língua o chão onde ela pisa.


Sabrina Sato – Dizem que é burra,mas olha aqui,eu não à quero para resolver o último teorema de Fermat então não estou nem aí se o cérebro dela perde na corrida para o cérebro de uma ostra.Além do mais é outra que tem um péssimo gosto para homem,tô dentro,nesse nível de péssimo para baixo eu me encaixo.


Tila Tequila – Essa só conhece quem freqüenta o MySpace e assiste a MTV.Uma asiática,hiper-mega-gostosa,bi-sexual e que tem tequila no nome?Quero duas por favor,uma para comer aqui e outra para levar.


____________________________________________________________________________

Trilha sonora deste post:

Benny Benassi - Who's Your Daddy

sábado, 17 de abril de 2010

Jeitinho brasileiro

O estado era crítico.

Atropelaram um menino numa bicicleta de barra circular, ainda com a camisa da papelaria onde trabalha, perdeu R$ 2,00 que viriam a comprar seu almoço.

Eu era o menino.

Abri os olhos e logo senti o cheiro de álcool. Cheiro de hospital. Sozinho, sonolento. O hospital é público, e a comida acompanha o mesmo ritmo.

— Será que vocês poderiam me dar algo que esteja quente?
— Será que o governo poderia me dar um plano odontológico melhor?

Todos ali estão armados, e você é só mais um. Eu só fui atropelado, nem deveria ter uma cama. No máximo uma esteira de palha, feita por idosas que moram nas filas. Já existe time de futebol composta apenas por idosos da fila, os “Meninos de Ouro” tem muita história e tradição. Idosas que fazem artesanato seria uma coisa nova.

Não consegui comer aquela coisa que ficava no meu prato, uniforme. Eu trabalho em uma papelaria, mas eles pensaram que eu tinha caído de algum foguete, da NASA e me ofereceram uma comida digna de um astronauta. Tentei novamente:

— Por favor, acho que falo por todos quando digo que é impossível comer isso.
— Tem certeza?
— Tenho.

A mulher assoviou, e em alguns segundos apareceu um cachorro. Já não sabia se estava em um hospital ou em um açougue. Ela então pôs meu prato no chão. O cachorro começou a comer como se fosse um banquete real com lagostas e vinho do porto.

— Não é mais impossível, vossa majestade. – Dizia a enfermeira exibindo um sorriso inquietante.
— Mas ele é um cachorro.
— Uma cadela.
— Tanto faz.
— Tanto faz não. A fêmea tem uma coisa que o macho não tem...
— Ah, que nojo, como fica dizendo isso num hospital?
— A fêmea tem instinto de mãe.
— Ah, não quero saber o sexo do cachorro, nem se ele já participou do programa das grávidas do Drauzio Varella. Eu quero comer algo.
— Acho que ainda há tempo de fazê-la vomitar...
— Está louca? Quero algo que esteja quente.
— Eu estou quente. – Insinuou.
— Eu estou fervendo.
— O hospital não me permite ter relacionamentos com pacientes.
— Estou fervendo de raiva de você.
— Agora que você morre de fome mesmo, seu arruaceiro. Fica aí atravessando sinais, agora quer Sushi no almoço. Me poupe.
— Tá, tudo bem. Você me arruma algo para comer, e eu lhe pago.
— Me mostre o dinheiro.
— Bem, eu perdi... Mas daqui a pouco minha mãe chega com o dinheiro. Prometo.
— Daqui a pouco começa Vale a Pena Ver de Novo. Nazaré vai se jogar da ponte. Tchau.
— Espera, espera. Por favor, eu juro que vou te pagar. Se eu não pagar você põe chumbo na minha bolsa de soro.
— Fechado.

Ela então sai do quarto. Volta minutos depois, dizendo:

— Daqui a pouco o cozinheiro faz pra você. Ele está em uma cirurgia delicada no momento.

(Crônicas que minha professora não leu)

terça-feira, 13 de abril de 2010

Diploma com assinatura de Jesus Cristo (WTF?)


Essa não dá para deixar passar.A Igreja Universal aprontou de novo.Dessa vez a Instituição do Bispo foi condenada a devolver os dízimos cobrados a um fiel que tem uma séria doença mental e estava dilapidando o patrimônio da família para pagar os assaltos dízimos para a igreja.

A ação foi movida pela mãe do malucão que já não aguentava mais comer ovo frito,dividido em dois,enquanto o Bispo comia caviar em alguma de suas mansões.Segundo os juízes,nas reuniões em que participava desde 96 o cara era induzido sempre a contribuir com alguma coisa,seja na forma de dimdim puro e simples,ou comprando algum bem de alto valor histórico estórico.Itens como:A chave do céu (aiiiii),terrenos no céu(aiiiiiiiii) e um diploma de dizimista assinado por ninguém menos que o próprio Jesus (aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii).Aquele mesmo lá de Nazaré,que fazia aquelas magicas estilo David Blane.

Com o agravamento da doença o fiel foi afastado do trabalho e como não podia mais pagar o dízimo vendeu um terreno pertencente a família e emitiu diversos cheques pré-datados para manter o compromisso assumido com o Bispo.Esse Bispo é o cara,aceita até pré-datado.Deve aceitar vale-refeição também.

O valor no qual a igreja vai “morrer” é de 50 mil reais de indenização mais 5 mil como danos morais.Coitados,vão falir.Onde irão conseguir dinheiro para comprar santas para chutar?E as festinhas no iate como ficam?Tsc,tsc…tem gente que não sabe brincar…

_____________________________________________________________________________
Trilha Sonora deste post:

SEGURA NA MÃO DE DEUS - NELSON NED

terça-feira, 6 de abril de 2010

O presente de Deus é a vida eterna




Tudo bem,entendi.Você pode viver para sempre se acreditar em Deus.Novas…Mas eu só tenho uma pergunta a fazer?Para que?A vida é uma chatice!

Não que eu queira morrer ou algo assim.Quer dizer,já estou aqui mesmo,então vou ficando.Mas viver para sempre?Essa mesma vida chata de todos os dias?Não quero não obrigado.

Agora se for para viver uma vida que eu possa escolher aí tá.Estou dentro.Já pensou?Não preciso mais acordar cedo para ir trabalhar.Vou ficar o dia todo de pernas pro ar,naquele calorzinho gostoso,a beira mar,tomando um chopp Eisenbahn e sendo abanado por mulheres lindas que estarão a minha disposição para o que der e vier.Principalmente para o que der.
Como assim não é desse jeito?Não é o paraíso?!Se não for assim então não é paraíso,pelo menos não para mim.

Então agora eu tenho que viver uma vida cheia de restrições para poder chegar no céu e me dar bem?Para ir para o céu eu preciso viver o inferno primeiro?Nananinanão.E além do mais,segundo a Globo,o céu é um imenso campo de golfe,com todo mundo vestido de branco e andando de mão dada.
Eu me recuso a andar de mãos dadas com o Antônio Fagundes!!!Com a Cristiane Torloni ,só se ela pagar. R$10,00  à meia-hora.Pensando o que?O cara dá um duro danado a vida toda,constrói uma imagem no meu caso uma ruim, um estilo só seu,aí chega nos portões do céu encontra com São Pedro que te dá uma roupa toda branca,do balaio da 25 de Março e te manda entrar.E não tem chupada.Não dá para mandar para uma costureira dar uma “ajeitada” como as Patys aqui de Criciúma fazem com as camisetas dos pagodes sertanejos.É aquela coisa branca e deu.E ai se sujar.Vai andar com uma roupa amarronzada para o resto da eternidade…Pois é…

proibidos02



Crédito da primeira tirinha - Alberto Montt
Créditos da segunda tirinha - Malvados

sábado, 3 de abril de 2010

Conspiração no restaurante

O Eduardo, na verdade, fazia faculdade de biologia. Só era garçom porque morava só, e precisava do miojo de cada dia. Meio desajeitado, ou um tanto despreparado, ele mal sabia segurar a bandeja. Uma vez perguntara se não poderia usar um carrinho, como nos cruzeiros que se vê nos filmes. Uma mulher então decide fazer um pedido:

― Por favor..

Chamava a tal mulher, acenando em direção ao balcão, onde estava Eduardo, estudando. O barman dá um tapa no braço do rapaz, e aponta para a mesa onde está a mulher. Eduardo corre até a mesa, e com um sorriso meio fraco, diz:

― Pois não?
― Que demora, hein?
― Desculpe, senhora... Eu só estava...
― Tá, tá... Poupe-me de suas desculpas. Não sou sua mãe.
― Ela é mais magra.
― O quê disse?
― Ér, o que a senhora deseja pedir?
― Bom, vou querer apenas uma salada e um copo d’agua, por gentileza.
― Ah, está fazendo regime?
― O pedido por favor!
― Ah, sim... O pedido. Uma salada, não é?
― E um copo d’agua.
― Nossa, que almoço.. – Dizia Eduardo, com uma cara de menosprezo.
― Quem vai comer: Eu ou você?
― Nem em um daqueles campeonatos chineses onde as pessoas sofrem, para ganhar um prêmio em dinheiro, eu comeria uma coisa dessas. – E ria sadicamente.
A mulher se levanta, bate a mão na mesa e grita:
― Pois eu como! E comerei em outro lugar!
Antes que ela desse o primeiro passo em direção a porta de entrada – ou saída – o garçom entra em sua frente:
― Mil perdões! Por favor, fique... Eu estou aqui a pouco tempo, e não sou muito bom nisso.
A mulher olhava para o rapaz e o relógio, enquanto rangia os dentes, disse:
― Uma salada e um copo d’agua. – E pôs a sentar-se.
― Uma salada... Um copo d’agua... – enquanto anotava, fez uma cara de dúvida – Então é por isso!
― Por isso o quê?
― Por isso pediu um copo d’agua! Não tem preço! – Dizia com um sorriso louco. – Eu sei como é... Sempre que vou naqueles barzinhos, acabo com o amendoim.
― Está me comparando com um garçonzinho de quinta, que devora amendoim em botecos?
― Que pede água no almoço.
― Pra mim chega! – A mulher saía, meio enraivecida. Eduardo via-se indo ao mesmo destino, porém com outro objetivo: o de não voltar mais como garçom. Então, como se ouvisse sua consciência guiar-lhe, estendeu a mão até o ombro da mulher e disse:
― Te pago um suco! Manga?

Crônicas que minha professora não entendeu.

terça-feira, 30 de março de 2010

Senta que lá vem História - A Mudinha

Eu não ia contar essa, mas já que insistiram lá vou eu cremar meu filme.
Era uma vez uma sexta feira a noite, e eu como sempre não tinha nada para fazer e estava na Associação da Canguru enchendo os canecos. Quando olho e vejo ao longe meus amigos Cavalo e Neizinho, pessoas finas,de boas cepas,famílias abastadas.Os dois já chegaram mamados,tropeçando em formigas e me convidaram para ir a casa de uma menina perto da praia do Rincão.

“-Ué,vamos né?!Não estou fazendo nada.” 

Pra começar essa casa não chegava nunca e nós cada vez mais embrenhados num matagal que eu nem sabia mais onde estava,só estava esperando sair um bando de índio do meio de uma toiceira para nos escalpelar.finalmente chegamos,depois de umas duas horas, e fui apresentado a “menina”,juro que ela deveria ter uns 70 anos,por baixo.Essa “menina” estava acompanhada de mais duas meninas,uma com um puta olho roxo,pois tinha apanhado do marido e a outra fazia uns gestos meio estranhos,eu até achei que ela estivesse mais manguaçada que eu.Mas depois,como veremos,acabei descobrindo que ela era muda.Quando fui pegar uma cerveja na geladeira,sim pois era uma casa normal,com sofás, geladeiras, cama e até uma pia cheia de pratos sujos,a “menina” me disse que a cerveja custava R$6,00 e ainda era Krill(=xixi)!!!Então percebi que os dois maus elementos haviam me arrastado para uma putaria, e das mais furrecas!!!!Legal!!!!!

Só estávamos nós três e as beldades, ninguém estava olhando e eu resolvi trocar umas bactérias  com a Muda, até porque era a única que prestava. Essa muda beijava de um jeito que praticamente sugava a vida do cara pela boca,ou por outras partes que eu não preciso comentar aqui,pois este é um blog de família (primeiro a mãe,depois a filha).

O fato estranho é que a muda gostou tanto de mim que pediu meu tel. E anotou no celular. Mas depois de uns 3 dias,quando minha ressaca foi curada eu fiquei pensando:Eu dei meu celular pra uma muda?Mas como ela iria falar comigo????? 

De vez em quando meu celular toca e a pessoa do outro lado não fala nada... Deve ser a muda...

Obs.:Essa história é antiga,é do tempo do Tijorola, não existia SMS.
_____________________________________________________________________________
Trilha sonora dessa postagem:


Raimundos - Puteiro em João Pessoa

sábado, 27 de março de 2010

Sobre os animais e tudo mais

O ser humano vive em incansáveis pesquisas e descobertas, a fim de tentar assumir que não somos animais. Mas somos os piores fingidores da história. Sempre seremos animais. Presenciei um momento que nos mostra a nossa real face.

Estávamos eu, Rafa e Mazinho. Meu primo, Rafa, tinha dinheiro para comprar um refrigerante, mas Mazinho tinha um real em mãos. Rafa quis então uma contribuição para comprar um refrigerante melhor, não vou citar o nome (como se fizesse diferença), mas Mazinho se negava a entregar todo dinheiro que tinha, que por sinal era apenas um real, ou seja, queria entregar apenas cinquenta centavos. Rafa tinha cinquenta centavos trocado, mas não queria apenas cinquenta centavos, queria um real. E foi essa mafuafa por cerca de 15 minutos:

- Me dá um real logo, Mazinho!
- Não, nem vem. Dou cinquenta, quer? Se não quiser deixa que eu compro um palito de cigarro ali, e trago o cinquenta.
- Não moço, vem cá então, deixa o dinheiro com Júnior!
- Com Júnior?! Ele é seu primo, pega meu dinheiro e te dá e eu fico sem cigarro.
- Pra que cigarro, Ma? Cigarro tem 1800 substancias tóxicas...
- 4700. Vai me dá um cinquenta?
- Ta bom, vem cá então... Solta o real moço! Solta o real, eu vou soltar o cinquenta!
- Solta o cinquenta então ué, vai, olha o real ta na sua mão, coloca que eu solto!
- Não, ta doido, te conheço Mazinho.
- Ta, eu vou colocar o real aqui na mesa e você coloca o cinquenta lá na pia, vai. E Júnior vai pra lá! Vai pra lá porra!
- Ta aqui! Vai.
Os dois correram e cada um pegou sua moeda. Doeu?

A desconfiança acaba com a humanidade. É por isso que preço das ancoras pra segurar carros em São Paulo em dias de chuva subiu tanto esse mês. Por isso que pararam com a doação mascaras na China e por isso que o preço da Bruna Surfistinha está este absurdo agora no Rio. Ninguém confia em ninguém.

Mas eu quero ver quando não tiver mais nada pra vender nem pra comprar, aí o animal vai sentir. Tomo mundo morre, e o que agente cobrava tão caro vai ficar para essas baratas que morrem com uma mera chinelada. Mas também vai ficar até uma barata resolver não assinar o Protocolo de Kyoto, aí quero ver.

terça-feira, 23 de março de 2010

Todos os homens são trouxas.Menos eu.


Eu já desconfiava,mas agora tenho certeza.Cheguei a essa brilhante conclusão esses dias atrás em uma bar bem conhecido aqui de Criciúma.Saí para tomar um chopp com duas amigas e uma delas é linda de doer.Sabe aquelas mulheres que você olha e dói?E dói porque você quer pegar e não pode,é muita areia para a tua Rural Wyllys 1968.Então,essa minha amiga é linda desse jeito.

Escolhemos uma mesa,sentamos e logo veio o dono do bar me cumprimentar,porque afinal não tem dono de bar nessa cidade que não me conheça,passo mais tempo da minha vida nos bares do que em casa.Eu senti que o cara levou um baque quando viu a menina.Deve ter sido amor a 1ª vista,porque o cara sentou na nossa mesa e nem pediu licença.Tudo bem,o cara é gente boa e tem um papo legal.E como eu era o único homem na mesa ele era bem vindo,para equilibrar as coisas.

E logo começou aquele papinho que nós homens jogamos para cima das meninas quando estamos interessados.Não entendo como vocês mulheres caem na nossa conversa fiada,sinceramente com aquele papo o cara não conseguiria vender um copo d’água para um Esquimó morrendo de sede no Saara.
E a menina não deu a mínima bola,mas o cara se empolgou tanto que deu um grito para o garçom.

-”Olha,nessa mesa aqui é tudo por conta da casa,o que eles pedirem sou eu que pago”.

Beleza.E dê-lhe shots de Jack Daniels.E o apaixonado mandava vir coquetéis esquisitíssimos para as duas meninas.E elas tomavam tudo,ávidas para aproveitar a súbita boa vontade do dono do bar.E eu que não sou bobo nem nada já tomei logo 3 Primators,uma cerveja Tcheca maravilhosa,com teor alcoólico de 16%.E lá veio uma tábua de frutos do mar,que no outro dia eu tinha que trabalhar e me disseram que beber sem comer aumenta a ressaca.

Sei que a conta deve ter dado mais ou menos uns 200 reais,dos quais pagamos só 28,00.Só saímos do bar as 3 da manhã.Completamente bêbados.Se rolou alguma coisa entre o dono do bar e a minha amiga?Não,ela foi embora e nem deu tchau para o cara.Veio no carro falando que adorava quando os trouxas tentavam comprá-la.E que nunca ficaria com um cara desse tipo,por mais dinheiro que tivesse.

Fato,nós homens somos todos otários.Menos eu,que sou legal e não tenho grana para comprar ninguém.
______________________________________________________________________________
Trilha sonora deste post :

De Leve - Elas são sinistras

domingo, 21 de março de 2010

Água Fria Neles


Dia desses, li em um desses sites de notícias bizarras que uma norte americana de 22 anos estaria leiloando sua virgindade. É claro que a notícia virou polêmica e assunto de debate geral.
Agora veja você... Cabaço é coisa tão rara hoje em dia que quem ainda tem, trata de ganhar uma graninha. (Ainda que, a graninha em questão sejam dois milhões de cru, cru).
O sortudo que pagar as verdinhas leva a virgem que não é Maria.
Primeira pergunta: O que leva uma mulher a se expor dessa forma?
Segunda pergunta: Um hímen causa tanta fissura em um homem assim?
E a terceira e mais importante: Que porra é essa meu Deus?
O filho da mãe do cara tem que ser muito escroto (com o perdão da palavra) a ponto de estourar todo esse dinheiro enquanto milhões se fodem só para dar uma gozada na mais recente ex-cabaço?
Com toda certeza esse circo patético que a donzelita está armando é absurdo, mas pior ainda será o cabra fútil que cobrirá as despesas do mesmo circo.

Quando leio notícias ridículas como esta tenho a sensação de que, ou o mundo está mesmo pirado, ou ele deve ser de fato azul com bolinhas rosa chiclete pra tanta gente junta ser tão besta e ignorar nossa misera realidade...
São senhoras endinheiradas gastando 2 mil pilas por mês pra cuidar dos pêlos da cadela, é filhinho de papai gastando aos tubos com o pozinho das sextas feiras, é patricinha que adora dizer que tem consciência ambiental, social,plural e oral só porque não come carne há 3 meses, mas gasta R$ 5.000,00 em uma blusa, é o empresário renomado que paga oito mil pilas em um vinho de safra dos tempos de lá vai fumaça para impressionar a também caríssima garota de programa que o faz companhia.

Não basta você e eu dizermos ter consciência social. Consciência social começa no calo de cada um, na ambição que cada um de nós temos.
Tanto se fala no assunto, tantas passeatas, debates e manifestações para no fim das contas, meia dúzia de gatos pingados entenderem o real sentido da coisa.
Enquanto até cabaço está à venda e tem louco que vai pagar para arrancá-lo, milhões padecem na mais absoluta miséria por culpa do governo, da origem pobre e por culpa sua e minha, por sermos indiferentes e perdermos mais tempo com o cu imóvel diante das últimas quentinhas da rica novela de Maneco ao invés de nos situarmos.
E quanto a mim, eu quero mais é que o cara que vai bancar a puta virgem dê uma bela brochada, só assim entenderá o quanto sua imbecilidade lhe saiu caro.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Álbuns de figurinha ambulantes

Não,não são aqueles álbuns do Brasileirão que você barbado colecionava .Com todos os pernas de pau craques que desfilavam pelos gramados canarinhos. Ou você gatchinhaaaa,aqueles da Moranguinho ou daqueles ursos debilóides super fofinhos,os Ursinhos Carinhosos.

Trata-se de pessoas super-mega-hiper tatuadas.Não que me incomode eles transformarem o próprio corpo em uma galeria de arte ambulante mas sim a “brabeza” dos mesmos.Explico:Porque todo tatuado faz cara feia?Já reparou leitor?Tá lá aquele cara com os braços cobertos de figurinhas,com frases para a amada,a mãe,o cachorro,o time de futebol,o escambau a quatro e se você acha legal e chega para dar uma olhada o cara faz uma puta pose de malvadão.Quer dizer,eu achei legal,não vou arrancar a tua pele para vender para a ciência.Eu quero arrancar e vender para a ciência,mas não vou,é crime,dá cadeia,e eu sou branquinho e todo mundo sabe o que acontece com os branquinhos na cadeia…

E com as meninas é a mesma coisa.A maluca vai lá e faz um pusta desenho enorme da Bete Boop e se você olhar ela fica fazendo doce,tentando esconder.E ainda tem aquela que faz um coração vermelho-sangue bem acima da bunda,põe um shortinho,uma mini-blusa e fica o tempo todo com as costas coladas na parede para ninguém ver.Moça,eu não vou te lamber não.Eu quero te lamber,mas não vou,é crime lamber as pessoas sem ser convidado,dá cadeia,e como eu sou branquinho,blábláblá…

Obs.:Não tenho nada contra tatuagem.Muito pelo contrário.Tenho 4.Mas as minhas todos podem ver.Pelo módico preço de R$10,00 reais a olhada,cada.Entrem em contato.

____________________________________________________________________________

Trilha sonora deste post :

The Who - Tattoo

Evolução






E finalmente começa o ano de 2010 no Brasil. São tantos os motivos para tudo estagnar, natal, ano novo, carnaval e Big Brother. Sim Big Brother!


O que seria de nós sem o Big Brother Brasil.

O que faríamos se não pudéssemos ligar a TV e ficarmos horas contemplando a beleza do ser humano parasitando em rede nacional, melhor internacional.

Sonho de todos os pais, verem seus filhos em uma rede de TV mostrando todo o seu potencial
Ali ele mostrará toda sua capacidade de superação. O ser humano é potencialmente degradante


Observaremos os exemplos a serem seguidos.

Aprenderemos que vale mais investir em silicone e lipos do que em estudos e que popularidade vale mais que caráter.

Descobriremos que vale "Tudo" para se dar bem.


Aprenderemos como banalizar uma vida e como usaremos o nosso “Melhor” para ganhar dinheiro.

Libera geral! O importante é fazer parte, afinal caso você discorde de alguma coisa, mesmo a mais idiota você esta fora do contexto. Preconceituoso, chato e hipócrita!

O mundo quer mais...

Tempos modernos! O mundo evoluiu, somos agora meras folhas ao vento, leves e livres.

È contraditório, já que tudo conspira ao retrocesso e a futilidade.

Evolução? Evoluímos?

Qual a diferença entre a mediocridade de vizinhas fofoqueiras de outros tempos para os milhares de inoperantes que se prostam em frente à TV para assistir fofocas, banalidades e intrigas?

Ha! Claro! Temos a tecnologia ao nosso favor e interagimos mesmo a distância. Pensando bem agora é bem mais legal

Não precisamos mais sequer sair de nossas casas para fazermos parte de tudo isso...


E viva a evolução humana!