quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

filosofia de buteco e o conceito "murphyano"


existem perguntas sem respostas, disso todo mundo sabe, não vou ser retundante. mas algumas dessas perguntas, de fato, me intrigam, me tiram o sono (literalmente: acordei hoje pensando nisso)

uns dias atrás tava andando com uma amiga pelas ruas de são paulo. mil coisas pra fazer, pra lá e pra cá, vai-e-volta, essas coisas de ficar sem direção na cidade das mil direções, mas enfim, de tanto andar, o sapato dela começou a machucar seu calcanhar e tivemos procurar uma farmácia pra comprar band aid pro ferimento que a impossibilitava continuar. encontrei uma perfumaria e ela disse "mas aqui não é farmácia...!". "mas band aid não é remédio!", pensei na hora!! então por que relacionamos quase automaticamente band aid com farmácia??

tendo essa premissa que notei algumas outras questões, vocês irão de convir comigo, que não existe um motivo claro - ou pelo menos que não queremos enxergar ao primeiro contato - pra que certas coisas aconteçam. vamos aos fatos, alguns exemplos que se firmam evidências contundentes:

- Por que a fila de supermercado que você está sempre demora mais do que a do lado?? - essa pra mim é uma questão sem solução prática. veja bem, é uma coisa completamente instável, já que mesmo observando a quantidade de pessoas nas filas comparadas, você tem que avaliar a quantidade de produtos que cada pessoa ainda vai passar no caixa, levando em conta os produtos que ainda restam pra pesar e alguns produtos que provavelmente não tem preço e o empacotador tem que pegá-los, "procurar" o corredor que esse produto se encontra, procurar o preço desse produto, que provavelmente vai estar trocado com o de outro qualquer ou registrado errado na etiqueta... isso sem contar na agilidade que o caixa terá pra registrar cada produto a ser conferido. enfim, missão impossível deduzir isso. e você sempre termina na fila que não anda, mesmo que a do lado seja maior do que a que você escolheu. fato.

- Por que sempre esquecem que você é vegetariano?? - ahhh, taí uma que não dá pra negar! sempre acontece! isso deve ser, provavelmente, o maior desafio de quem é, ou que consequentemente decide se tornar um vegetariano: as pessoas, me parece, fazem questão de se esquecerem que você é um deles. um exemplo bem prático: eu não sou adepto da carnivoria desde, sei lá, 5 anos de idade mais ou menos. tenho uma tia, essa qual frequento sua casa desde que me compreendo como pessoa gente humana: ela sempre, desde então, coloca carne de panela sobre a mesa na hora do almoço e me provoca: "menino, pega a carne! tá uma delícia! heim? você não come carne?? jura?? ahhh eu não sabiiia!!!"... isso acontece já tem trinta anos. se eu for AMANHÃ na casa dela, com certeza ela repetirá o ato falho. isso sem contar quando as pessoas te perguntam "mas nem frango?"... ou aquela outra "ahh, então sem problema, tem peixe aqui... mas o que? nem peixe você come??"... e isso não se resume apenas aos veggies. quando você odeia pimentão, ou maxixe, ou alergia à lactose, enfim, se tu nunca passou por isso, há!: espere seu dia chegar.

- Por que as pessoas saem de portões e estabelecimentos e NUNCA olham pro lado certo?? - você, caro leitor, já notou isso? ou você se encaixa no perfil dos que FAZEM isso? espero que não, porque se for, nunca serei seu amigo!... mas eu creio que você, que lê isso aqui, já esteve caminhando na calçada, no seu caminho, prestando atenção em tudo a sua volta, calculando meticulosamente a distância mantida entre outros transeuntes, objetos inanimados, automóveis, arvores, daí sai o abestado de dentro de uma loja, ou portão de condominio, e essa pessoa NUNCA nota a sua presença e já vai atravessando seu caminho indeterminadamente, sem a minima consideração com aquela lei vigente de "dois corpos não poderem ocupar um mesmo espaço"; não que eu seja do tipo que gosta de chamar atenção por onde passo, sou reservado pa caralha... mas ODEIO ser passado por invisível quando as pessoas entram na minha frente, como se eu não estivesse lá, ou andam pra frente mas olhando pra trás, numa curiosa movimentação com a cabeça rotacionada a 60 graus da sua rota determinada nos próximos passos a frente. maldição de cigano pra pessoas assim, de boa. falando em automóveis, duvido que algum desses joselitos tenham essa mesma moral ao atravessar um semáforo vermelho: tenta a sorte, parceiro! atravessa ae...

- Por que o ônibus que você espera SEMPRE demora a chegar? - essa é aleatória. completamente randômica. ok, se é dificil determinar a movimentação de uma simples fila de supermercado, imagina sobre o trânsito de São Paulo! é: nessa eu forcei. mas então por que o ônibus que a pessoa ao seu lado espera sempre chega antes do seu?... derrostista, eu? não, nem sou: às vezes, isso eu comprovo, às vezes você está no mesmo ponto de ônibus, no mesmo horario de sempre, mas você espera um OUTRO ônibus. batata: aquele que demora todo dia vai passar. tenha certeza! você o espera 30, 40 minutos lá plantado no ponto - e não existe nada no mundo mais perca de tempo do que esperar ônibus - e o bendito não passa nem a porra! mas se você não está esperando essa linha, pronto: não demora 3 minutos e ele encosta no ponto. ah, não quero continuar essa estória não, já tô ficando nervoso...

é, acho que essa porra já é pré-determinada nas nossas vidas. nunca vamos entender de fato como certas coisas funcionam. e eu falo de certas coisas que tem tendências aleatórias mesmo, nem toquei em assuntos já estudados pela ciência e pela fisica, como "pão que sempre cai com manteiga pra baixo" ou "galinha que nasce do ovo da galinha": essas coisas deixo pros Mythbusters. eles tem mais conhecimento de causa do que eu. e faz o seguinte, Almeida: bota mais uma cerveja ae nessa mesa e coloca na conta do Mayer, vai...

11 Cafezinhos:

Marcelo Mayer disse...

quem fuma, sabe muito bem que a teoria da relatividade se aplica muito bem na hora de esperar o ônibus.
pode colocar sim na minha conta. nunca se deve negar cerveja a amigos.

J P F O X disse...

Estes são mistérios que cientistas de canto algum não conseguirão explicar. Acho que a forma mais fácil de viver bem é deixando tudo pra lá, pois coisas tão banais suscitaram um belo texto que se tivesse um tema específico não ficaria tão bom.
Até mais,

Didiorock disse...

Embora concorde com os outros (tá, dos vegetarianos e alérgicos eu nunca passei e espero q não chegue o dia) dou atenção especial aos malditos que não olham mesmo por onde andam, saem dos lugares para a calçada como se fossem donos do mundo, quase te atropelam e ainda reclamam de vc. Deviam ser excluídos da sociedade! hehe
O ônibus tbm é foda... odeio pegar ônibus pq isso sempre acontece comigo... aí fico impaciente, acendo um cigarro e o ônibus chega!

Tiburciana disse...

BOM JÁ TEMOS A SOLUÇÃO PARA O ATRAZO DO ONIBUS..
APENAS ACENDA UM CIGARRO E O ONIBUS VEM ...
BJOS

Marcelo Mayer disse...

ah... isso me fez lembrar uma cena do filme "o balconista"

- oq vcs têm de lançamento?

pergunta feita na frente da prateleira de lençamentos.

Mariah disse...

por que a fita da máquina registradora sempre acaba na sua vez?
por que quem irá te atender sempre está "em treinamento"?
por que o farol sempre fica verde quando você quer passar rímel?
por que você sempre está de rasteirinha quando cai uma tempestade?

suellen nara disse...

Se alguma coisa tem chance, ainda que remota, de dar errado... com certeza dará.
Lei de Murphy

Ferdi disse...

A do ser vegetariano e do ônibus são as que mais me dão ódiozinho no coração.
Ok a segunda que, bem, nem é um ódio direcionado, mas quando me perguntam se "nem peixe? nem frango?" eu não consigo ser simpática, sempre respondo "peixe e frango são legumes?" ou coisa que o valha com um tom meio irritadiço. É que as pessoas sabem, né? E se não sabem é pra ter ainda mais raiva (já que eu não tenho contato com ninguém que não tenha frequentado a escola até pelo menos o ensino médio).

Ju... disse...

Eu concordo plenamente com todas as questões do post, principalmente a do ônibus... e fumante sofre, porque a gente fica pensando "se eu acender o cigarro ele vai passar" e ter que jogar o cigarro fora não é algo que um fumante goste...

Erica Ferro disse...

Vixe! Eu nunca vejo nada, aliás... eu saio esbarrando em quase tudo.
Vivo passando por conhecidos sem enxergá-los e parece que eu esnobo-os por isso, mas não é... É que eu simplesmente não vejo o óbvio (e nem é problema de visão, porque eu uso óculos... acho que devo ter algum problema mais sério, hehehe).
Agora eu vejo as coisas mais obscuras e mais escondidas que há, que passam despercebidas por quase todo mundo. E é por essas e outras que eu não me entendo.

E continuemos buscando as respostas pra essas perguntinhas cabulosas. Ou não, porque cansa.

Sentimental ♥ disse...

o q demora a andar é a fila de carros à minha frente, sempre fico na fila morta do engarrafamento...