sábado, 9 de janeiro de 2010

Tentando esclarecer

Faz um tempo que não escrevo e me envergonho, sim, por isso. Peço desculpas a todos, e já disse a alguns. O problema é que não estou tão preparado para ter sempre coisas irônicas a dizer, e dia desses não tive nem o que dizer. Minha mãe sofreu um acidente, e fraturou duas partes do corpo. Todos da família ficaram em estado de choque, e estavam todos lá, no hospital. Todos falavam muito, perguntavam muito, oravam muito.
E é nessas horas que já muitos se perguntando: Mas, porque Deus não fez nada? Por que deixou que isso acontecesse?
Como se fosse culpa de Deus que muitos imprudentes atravessam a rua de uma vez, sem olhar para os outros.
Aí está a ironia. As pessoas querem mágicas! Querem milagre! Querem que a água se torne vinho e que quando uma pessoa for atropelada o carro freie sozinho. E todos saem sorrindo, trocando “bom dia”. Minha mãe não troca mais “bom dia”. Ela mal troca “oi”. Se sente mal o tempo todo. E minha mãe é dramática por natureza. Tudo herdado da minha avó.
Lembro de quando era pequeno, adorava a casa da minha avó. Adorava vê-la me chamando de “cão”.
- Pega um copo d’água lá pra mim, Júnior.
- Ta bom, vó.
- Cadê?
- Calma vó, nem levantei.
- Então levanta!
- Já vou...
- Ave Maria, que lerdeza! Bora, menino!
- To chegando na geladeira agora vó, calma!
- Não, quero do filtro.
- Num calor desses?
- Só bebo água do filtro, sempre bebi só do filtro, não é não Pretinha? – Pretinha, minha tia.
- Sempre!
- Do filtro.
- Então ta.
- Cadê a água, Júnior? Meu Deus, se fosse pra apagar um incêndio tinha morrido todo mundo.
- Todo mundo dependendo de um copo d’água... Podia ter mais gente pegando.
- Olha isso, Pretinha? Esses menino de Leu respeite ninguém.
- Desrespeitei a senhora, vó?
- Hum, só chama de senhora quando aperta.
- Ta aqui vó.
- Oh, aleluia!
Parece que demorou, mas não levou 3 minutos. Todo mundo bem, minha vó acaba de beber e meu avó lá do quarto dele grita:
- Júnior, quero água.
- Ah, vô. Pede Rafa.
- Rafa, trás a correia aí que Júnior vai ver o dele.

E eu que pensei que nós, jovens, sabíamos o que era irônia. Irônico mesmo é ver meus avós cantando: Ando devagar, porque já tive pressa...


Só um momento pra relembrar a paranóia da família da minha mãe. Enquanto ela fica aqui na cama se chamando de inútil, eu fico desenhando caricaturas dela. Ela sempre pergunta se tem aquele pescoço grande. E, desculpem por ter sumido.

7 Cafezinhos:

Natacia Araújo disse...

Almi, com toda certeza tô pra ver pessoa igual a vc, não existe mesmo!
Melhoras pra tua mãe e não se preocupe com o tempo sem postar, imprevistos acontecem e a irônia da tua família é muito comum na maioria das famílias...rs
Grande beijo.

ps: Amor, pega um copo de água pra mim? rsrs

Edina Regina Araújo disse...

Família,fonte de inspiração com toda certeza hahahaha .
E sorte de quem tem ... Beijos meu irmaõzinho!

suellen nara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
suellen nara disse...

e quem nao tem histórias de familia pra contar?

almii, melhoras pra sua mãe...
nem esquenta com isso aqui não.

Luciana disse...

Família realmente é coisa cheia de história... vixe.

Melhoras pra tua mãe, Almi!

Mariah disse...

adorei esse choque de vida real. família é bem mais interessante na foto...ou morando em outro continente!

Sentimental ♥ disse...

toda família tem a dose certa de drama...