quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O Dom da Interpretação

Máxima 43 do livro A arte de ser feliz do grande filósofo Schopenhauer:
" Quem foi generosamente dotado pela natureza não necessita de mais nada exterior além do tempo livre para usufruir sua riqueza interior."

E foi lendo esta pequena resenha que abdiquei do meu emprego convencional para dedicar-me única e exclusivamente aos atributos do meu "pau".
Passei a fazer exercícios com o objetivo de venerá-lo,cultuá-lo e adorá-lo. Por vezes, ridicularizado e discriminado, eu mantinha minha postura "gostosôna" de símbolo sexual-filosófico de minha própria existencialidade. ( Ainda que o termo sobre a existencialidade eu tenha roubado de Sartre.) Mas, assim mesmo, meu argumento e por esse mesmo motivo arma maior era a de que, interpretação assim como fé e cu é exclusivamente pessoal e intransferível. Pode-se comprovar o que digo apenas citando a biblia e os textos de Caio Sóh, a gente lê, relê e cada hora entende de um jeito, e nem por isso os adolescentes páram de entrar frenéticamente nas comunidades do orkut prestigiando o cara e muito menos deixam de construir uma igreja há cada quinze minutos.
E por mais que qualquer leigo em filosofia saiba que Schopenhauer não teria muitos créditos com os métodos de felicidade (Quiçá com minhas interpretações sobre o meu pau) por ser mundialmente conhecido como um dos maiores ícones do pessimismo, eu fiquei muito feliz!
Usufruo de minha riqueza interior com todo prazer.
Ainda ontem me deparei com a exortação de Sartre a respeito da célebre frase: " A existência precede a essência". Ele dizia: " O homem está condenado a ser livre."
E foi assim que eu me descobri viado.

7 Cafezinhos:

Roberto Camilo disse...

kkkkkkkkkkk Que mente fértil!
Schopenhauer e Sartre cruelmente blasfemados!
Demais cara!

Natacia Araújo disse...

kkkkk Choooro contigo bicho!
Filosofia refinadíssima! Lançamos o novo pai do existencialismo!
Tô vendo que vou curtir muito isso aqui!

Ivan disse...

pois é... eu até achei graça!

Leonardo Petersen Lamha disse...

cacete, isso foi muito bom! gostei demais.

e valeu por seguir o vômito lá. as entranhas agradecem.

abraço!

Carlos disse...

Que sacada!Do caralho cara!

Alê disse...

adoro textos com reviravoltas no final, acho que são os melhores, pq torcem a cabeça do leitor...parabéns pela escrita!

Cristiano Contreiras disse...

Sr Jorge sabes mesclar o universo do existencialismo com erotismo! puro charme? pura elegância literária, rapaz! parabéns!