quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Sem saco

E que meu amor seja perdoado porque metade de mim é loucura e a outra metade também, ou algo assim parecido... E tal e tal.

Filósofos, poetas, cristãos, músicos, atores, ateus, á toas... Todos eles com suas frasezinhas de efeito, do dia pro outro se dizem “gênios” e são seguidos por milhares de pessoas no mundo inteiro. Na boa, frases feitas me enchem o saco. Já não basta Freud e Einstein que tiveram que tomar droga para descobrir as coisas. Eu descubro coisas muito mais interessantes (leia-se bizarras) observando minha prima de três anos conversando com sua boneca ou em janelas de MSN tentando definir até Jesus Cristo sem tomar uma gota de álcool. E isso não significa que eu seja religiosa, por favor, o cara foi o maior filósofo de todos os tempos e nunca, nada do que Ele disse foi banalizado (até porque as pessoas não entendem direito suas parábolas), a não ser que Ele tenha reencarnado Lispector para isso acontecer, porque essa mulher tem algo de “divino” em suas escritas que chego a ter calafrios.

Por falar em calafrios, esses romancistas também já encheram o saco. Escrevem um conto, uma novela, um poema e só falam de dor, desabafando, chorando igual Caio Fernando Abreu, que eu até curto, mas me deixa meio deprê. Eu não gosto de falar de dor, eu falo daquela estranha sensação que é não sentir Nada. E mesmo que eu falasse de dor eu iria encontrar uma maneira de ver algo bonito nisso, sem dor.

Mas bonito mesmo é Fernando Pessoa dizendo: Se te é impossível viver só, nasceste escravo. Essa coisa meio egoísta, meio moralista, me interessa muito. Me faz compreender todo o caos dessa vida bege, onde as pessoas estão cada vez mais carentes. Cada vez mais dependentes e mortas por dentro.

Como diz Nietzsche: O que não provoca a minha morte faz com que eu fique mais forte. Esse era doidão. Doidão beleza. Romancista revoltado, Anti Cristo incompreendido, Filósofo, Cético, Poeta, Músico Amador e até Enfermeiro. Acabou pirando com seu Super Homem, coitado.

Que saco! Todos eles já escreveram tudo, então eu não tenho mais nada pra escrever. E se Nietzsche já criticou até Schopenhauer, o que teria EU a dizer?

Nem sendo Jesus Cristo.

5 Cafezinhos:

Natacia Araújo disse...

Nara, Nara, Nara...Tô sem fôlego!
"Sem título" ou "Sem saco" naquela nossa cruel dúvida sobre o título do post...rs
Mas o que fica aqui é a sensação compartilhada meio anarquista, meio filosofada, meio alucinógena, meio amadora e sem espaço de que já foi dito tudo por eles, os grandes! hehe
Ainda que Jesus,Clarice,Pessoa, Nietzche e até Schopenhauer tenham dito cada um a sua maneira tudo( ou quase tudo), vem a mente simultaneamente a mesma sensação amadora, compartilhada, provocativa e histérica de que : Ainda falta tanto pra se dizer...
E nisso, concordo com Pessoa ahh, e como interessa essa "coisa" meio isso meio aquilo toda...rs Bendita seja a limitação humana! Faz da gente "agentes de nós mesmos"...Outra frase batida? ok,ok...sem dúvidas...rs Mas é essa sede tão piegas e clichê de saber os motivos de tudo que nos torna tão poéticos e artistícos. E daí minha amiga...A arte se renova junto com nossas dúvidas e aflições milenares.
Nara! Sintetizando: Perfeito! Parabéns!

Roberto Camilo disse...

Uau! Muito bom Nara! Eu não recuso um Nietzche para ler não, mas concordo com você aprendo na prática muito mais do comportamento diário, meus alunos por exemplo...haha. Mas tem muito do que se falar também porque como indivíduos temos o privilégio de enxergar as coisas de ângulos diferentes. Então, o que fica é a vontade de expor ainda que pensemos que já foi escrito tudo.
E nisso concordo com a cabeçuda aí de cima, nossas limitações nós movem a ter muito que supor. Sem as respostas pra tudo, o mundo literário fica bem menos chato, já que a cada dia nasce uma suposição inspiradora diferente.
E é claro, que como bons escritores da modernidade, não abrimos mão dos grandes pioneiros em nossas mesas de cabeceira.

Jorge Oliveira disse...

Ei Nara, crônica da boa heim! Os caras que vc citou aí são todos demais, grandes pioneiros em seus estilos e obras, mas ainda tem muito que se escrever e falar, apenas baseado no fato de que o mundo tem o tempo e este não pára, renovando a cada dia conceitos, fatos e tudo mais, e isso, nós temos a nosso favor.
Muito bom te ler!

thαα disse...

Adorei!

Bianca Nonato disse...

Se já escreveram tudo eu não sei, mas que vc escreve muito bem nota-se!
Parabéns pelas argumentações, uma delícia ler tuas linhas, leve e a gente nem sente quando acaba!