quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Ser alguém

Ás vezes eu fico tentando entender qual é a síndrome que ataca os estudantes Universitarios que, até um tempo atrás, eram completos vagabundos. De um dia pro outro se dizem ambientalmente corretos, protetores dos animais, comedores de comidas orgânicas. Em todo lugar que você vai, lá estão eles, rindo pra caralho, bebendo pra caralho, falando pra caralho e enchendo o saco de todo mundo com discursinhos meia boca. E se você não der bola, ou tiver mais o que fazer da vida, você é um alienado e culpado pelo aquecimento global. Eles não tem nada na cabeça a não ser aquilo que leram em algum lugar ou que aprenderam porque era matéria obrigatória. Se antes passavam horas na frente da tv e só sabiam consumir e consumir, agora ficam andando por aí dizendo que a mídia influencia pessoas e repetem o tempo todo que são contra o sistema. Antes não respeitavam nem a mãe e agora querem parecer super-hiper-educados, não falam palavrão e amam todo mundo.
Sejamos sinceros, a pessoa precisa mesmo entrar na Universidade para aprender a reciclar o lixo? Precisa que alguém explique que todo animal requer cuidados? Precisa mesmo ler aqueles textos enormes para saber que certos alimentos fazem bem a saúde e que higiene é fundamental? Será que esqueceram de dizer a eles que é bonito ter bons modos? Até uma criança de dois anos sabe o que é isso sem ninguém ter ensinado.
Ô povinho atrasado viu (leia-se retardado)... E ainda querem salvar o mundo.
"Eu vou fazer faculdade porque eu quero ser alguém na vida." Oi? Em que mundo você vive? O que foi que te ensinaram em casa? O que você vai contar pros seus filhos?

Se "ser alguém" se resume a isso, então eu não tenho mais nada a dizer.
É pouco, é muito pouco.

25 Cafezinhos:

Ricardo Chicuta. disse...

Olha,aqui em Criciúma os universitários continuam a ser vagabundos cachaceiros.Estou sempre no bar da faculdade e vejo isso in loco,muito bom viu,vagabundos cachaceiros,adoro,principalmente (e somente) as meninas.

Dayane disse...

Não. Não precisa entrar na facul pra isso, eu não estou em uma (não tenho idade pra isso ainda)e sou contra este sistema opressor,afirmo que a mídia influencia as pessoas...
É as pessoa deveriam ter isso despertado dentro de si, desde bem pequeninasss mesmoo.

Erica Ferro disse...

E a maior faculdade é a própria vida.
Ser alguém é tão ilimitado, que somos alguém pela metade, ou mais um pouco, mas só um pouco; nunca inteiros.

Adorei o texto!

Um beijo.

Marcelo Mayer disse...

o futuro do brasil tá expressado claramente em Ricardo Chicuta. no mínimo o pai paga e ele tá lá com as menininhas. ai pra responder vai vir com um discurso que trampa o dia todo pra pagar a facul. se trabalhasse não teria tido este infeliz comentário.
Prêmio Ricardo Chicuta para o universitário mais imbecil do país. Disputa acirrada.
não tiro uma vírgula de seu texto!
Muito foda!

Marcelo Mayer disse...

ps: quero deixar bem claro que não tenho nada contra filhos que são bancados pelos pais na facul. desde que aproveitem ao máximo a oportunidade que estão dando. pq um dia vou querer pagar uma para meu filho, desde que ele me retorne com satisfação.

Edina Regina Araújo disse...

Ser "Alguém não depende de faculdade ,ela é apenas uma ferramenta de algo que vc deseja. Se deseja .O fato é que na maioria das vezes o que acontece é que nem todos que vão a atrás do bonde querem de fato algo , na verdade o mais importante pelo que parece é "Fazer parte" de qualquer coisa mesmo que muitas vezes nem saibam exatamente o que seja ...Ai fica uma loucura .Agora todo mundo pulando ,agora rolando e por ai vai...
Muito bom! beijos

Felipe A. Carriço disse...

A vida é o maior colégio, os pais eternos professores, e nós meros aprendizes.

Natacia Araújo disse...

É o slogan: "Entre pra faculdade e vire revolucionário! Ganhe popularidade e finja sentido para sua vidinha vazia!"

É pena que na maioria seja aquele fogo de palha, que o carinha que tá lá com o cartaz em pleno Leblon fazendo passeata pela preservação do meio ambiente seja o mesmo que que humilha uma estudante pelo tamanho de seu vestido.
E o que a gente comprova com isso? Que a maioria vai pra onde tem mais holofotes e público, que o importante não é a causa em si, mas quem vê "o show".
Grande merda...rs

Faculdade forma profissionais, mas não o "caráter".
Não estou generalizando, jamais. Mas cresce mesmo o número de estudantes que só querem o chamado "fervo", sem nem saber os reais motivos de uma causa.
Quer provas? Bota lá um babaquinha na porta de uma universidade falando meia dúzia de palavras de um discurso pronto e manjado falando que a nova moda é não comer carne por causa do desrespeito com os animais, joga a porra do vídeo no youtube e continua com a macacada por universidades a fora, te garanto que em uma semana, metade dos universitários do país vão estar comendo alface e agrião...rs
Parece mentira, mas é a nossa realidade, cheia de estudantes e jovens com a famosa revolução influenciável e influenciada.
E lá estarão eles nas grandes avenidas fazendo as mais fervorozas passeatas, mas quase desmaiando porque o filha da puta do cara precisa da carne no alimentação dele...rs

As causas sérias não são levadas a a sério, pq se fossem não estariamos na mertda que estamos.

Naraaaaaaaaaaaaa, do caralho!! rs maravilha de texto!

Natália Ferreira disse...

ser algume for isso é poucop memsmo plena concordancia beijao Suh

Jorge Oliveira disse...

É muita revolução e pouca ação, esse é o problema da garotada universitária.
Boa Nara, boa mesmoooo!

Sheron disse...

Todo mundo querendo salvar o mundo na base de auto-promoção.
Conheço poucas pessoas que metem a cara mesmo e que fazem muito por muita gente e não falam nada.
Demagogia é contagioso..aff

Boa crítica Suellen, boa visão!

Ana Seerig disse...

É a história de gerações. Do mesmo modo que nos anos 50 pros jovens serem modernos eles tinham que fumar, agora nos anos 2000 quem fuma é considerado idiota ou drogado...

Quanto aos ideais, acho que as defesas em determinados assuntos forem feitas por alguém que realmente acredite no que está dizendo, do contrário de nada adiata.

Não acho que certas ideias são defendidas apenas quando se entra na faculdade, mas são resultado de alguma coisa vivida pela pessoa. Nem todos na faculdade pensam em aquecimento global ou em outra coisa que não tenha relação com seu próprio umbigo. Se as pessoas estão começando a pensar no resto do mundo, acho que é uma evolução, desde que não só pensem como façam algo.

Mas realmente, o caminho para ser alguém na vida não é ir para a faculdade, mas sim ter educação...

Mauro Vasconcelos disse...

rs gostei, é um fuzuê que na prática é só um paradoxo.
Muito bom!

Roberto Camilo disse...

oba! no dia que fizerem a passeata do mensalão eu vou, mas só se for ao meu favor...hehe

A humanidade quer ter poderes ou pelo menos a fama dos poderosos, rs
quero ver fazer bonito e não querer pulpito.

K- disse...

É bem irônico esses absurdos, mas nada atípico. Todo mundo uma vez ou outra precisa de máscaras pra se sentir parte de alguma coisa. Algumas pessoas levam isso a níveis extremos, mas nem isso surpreende.

Luciana disse...

Ótimo texto.
E é bem assim mesmo. Se bem que prefiro não generalizar, por que, como disse o Chicuta, tem muito estudante por aí que ainda é alienado ao extremo. Enquanto outros pagam pau de politicamente corretos só para ser cool.

Talvez seja uma forma de chegar a um nível de amadurecimento diferente da adolescência... mostrar que cresceu e é "responsável". Para os pais, isso é lindo! ¬¬


Beijo! ^^

Déia disse...

No fundo n fazem nada, relaxa...bebem, fumam maconha e jogam truco... o resto é bla blabla...

bj

Ale Danyluk disse...

É a porraaa da geração do politicamente correto!!!
Eu abomino isso. E quando dou de cara com essa "gente sem sal", esses "chuchus insossos" faço questão de dar aquela rodada de baiana e exagerar no meu radicalismo nato só pra chocá-los mesmo.
O mais engraçado é ver a cara desse "povinho enlatadinho" que acredita mesmo que o leite vem de uma caixinha e não de uma vaca.

O pior de tudo é que esse lixo nem orgânico é, eles são tão FAKES quanto o plástico...só que sem utilidade; nem recicláveis o são...demorarão mais que 50 anos para se decomporem. Infelizmente teremos que dormir com esse barulho por muitoooo tempo...
Muito bom o texto.
Digno do seu naipe de pessoa: BRILHANTE E DE CONTEÚDOOOO
Graças a Deus!
Beijo

KG disse...

Seria a teoria dos "papeis"?
Penso a mesma coisa. Nas Universidades: drogas, alcool, aulas perdidas etc. Depois, nossos profissionais a salvarem vidas, julgarem etc.
Acho que é o muito "Maria vai com as outras". Se ele se tornasse um profissional como então foi quando estudante, tudo bem! Opção de cada um... Mas, fingir-se a si pp, pura idiotice...

Almi Júnior disse...

Suellen cada vez mais me impressionando. É só isso que se vê, não é novidade pra ninguem. Aqui na minha cidade todo mundo quer fazer Ciências Biológicas por causa dos animais.. Ah, meu saco.

Alanzão disse...

Curso superior no Brasil, infelizemnte, é apenas um titulo para contar em um papel qualquer chamado curriculo, nao prepara para ser um profissional. Sou formado e sei oq ue estou falando... Melhor é curso técnico se quer garantir alguma profissão, saber algo realmente e não somente encher linguicinha...
A teoria é otima, cidadão estuda, fundamental, medio, superior, e tem sua profissão, entra no mercado de trabalho, se especializa, mestre, doutorado..teoria OTIMA, que se funcionasse seria otima..

mas funciona??

vide presidente ...e responde

Is we in the tape

Felipe disse...

É o progresso. Os hippies-quase-revolucionários-pseudo-conscientes do futuro terão todos curso superior, e amaldiçoarão a exclusão intelectual. Ser contra agora é "in", minha gente.

Andrea Mari disse...

a maioria entra na universidade e vira revolucionario!hahahah ate parece,assim fica facil ser CHE!
e entrar pra ser alguem,complicado!
mas sempre tem um retardado!
excelente texto,parabens!
tem que tirar umas copias e distribuir na facul...hahahah
bjosssss

Flávia Diniz. disse...

Muito bom o texto.
Concordo plenamente.


=*

Ferdi disse...

Eles aprenderam com 2 anos, aprenderam a desaprender e agora estão reaprendendo.
E agora agem que nem criança que aprende palavra nova, "desatento existe, mãe? o que é?", seja o que for, tudo será desatento.
É mesmo muito pouco.